16 de Dezembro de 2017
18º/33º
NOTÍCIAS » REGIÃO

Cientista da região participa de projeto vencedor de Prêmio Nobel de Física

Elvis Camilo Ferreira, que morou e estudou em Adamantina e Mariápolis, participa da pesquisa

Seis cientistas do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) de São José dos Campos – entre eles Elvis Camilo Ferreira, que morou e estudou em Mariápolis e Adamantina - participaram de um projeto para detecção de ondas gravitacionais.

O estudo foi vencedor do Prêmio Nobel de Física, anunciado na terça-feira (3) da semana passada, na Suécia, que será entregue a Rainer Weiss, Kip Thorne e Barry Barish pelo trabalho que resultou no Observatório Interferométrico de Ondas Gravitacionais LIGO (do inglês Laser Interferometer Gravitational-wave Observatory).

A pesquisa permitiu a detecção de ondas gravitacionais, que confirmou parte fundamental da Teoria Geral da Relatividade formulada por Albert Einstein. Foi realizada por um time de vários países, entre eles cientistas do INPE. Ao todo, o projeto envolveu cerca de 1,3 mil profissionais da área de 14 países diferentes, como Brasil, Estados Unidos, Canadá, Reino Unido, entre outros.

Segundo divulgou o site do INPE, a Colaboração Científica LIGO possui seis membros na Divisão de Astrofísica do INPE: Odylio Denys Aguiar, líder das pesquisas sobre ondas gravitacionais no Instituto, César Augusto Costa, Márcio Constâncio Jr, Elvis Camilo Ferreira, Allan Douglas dos Santos Silva e Marcos André Okada. "Este é um reconhecimento histórico para a área e para o trabalho árduo de todos os envolvidos nela. Com o anúncio, fica claro que a comunidade científica reconhece como inaugurada a Astronomia de Ondas Gravitacionais. Falta agora a ação das fontes de financiamento científico brasileiro (CNPq, CAPES, FAPEs) para criarem esta nova subárea de pesquisa nos formulários de pedidos de apoio", declara Aguiar, em publicação no site do INPE.

O grupo do INPE trabalha no aperfeiçoamento da instrumentação de isolamento vibracional e térmica do LIGO, na sua futura operação com espelhos resfriados. O principal objetivo é aumentar a sensibilidade dos detectores para observar mais fontes de ondas gravitacionais.
Além disso, o grupo atua na caracterização dos detectores, buscando determinar as suas fontes de ruído e a minimização dos seus efeitos nos dados coletados, permitindo que sinais de ondas gravitacionais fortes sejam mais facilmente localizados.

Segundo o site do INPE, ondas gravitacionais carregam informações sobre suas origens e sobre a natureza da gravidade que não podem ser obtidas de outra forma. As ondulações no tecido do espaço-tempo provocadas pela colisão de buracos negros haviam sido previstas, mas nunca observadas antes do LIGO.

De acordo com a relatividade geral – diz o site – um par de buracos negros orbitando entre si perde energia através da emissão de ondas gravitacionais, fazendo-os se aproximarem gradativamente ao longo de bilhões de anos e bem mais rápido nos minutos finais. Durante a fração final de segundo, os buracos negros colidem um contra o outro com velocidade aproximadamente igual à metade da velocidade da luz e formam um buraco negro mais massivo, convertendo em energia uma porção da massa total do par, de acordo com a fórmula de Einstein E=mc2.

Elvis Camilo: cientista da Nova Alta Paulista no INPE

O adamantinense Elvis Camilo Ferreira é estudante de doutorado em astrofísica no INPE e integra o seleto grupo de cientistas brasileiros membros da colaboração científica do LIGO, que conta com uma rede de pesquisadores colaboradores em todo o mundo. Ele nasceu em 1989 em Adamantina e morou em Mariápolis até 2007, quando sua família mudou-se para Adamantina, onde vive até hoje.

Elvis fez os ensinos básico e fundamental nas escolas públicas de Mariápolis: na pré-escola, Escola Municipal Nelson Magnani e Escola Estadual Profª Elmoza Antonio João. Ele cursou o ensino médio na Escola Técnica Estadual (ETEC) Eudécio Luiz Vicente, em Adamantina, onde concluiu dois cursos técnicos: Informática e açúcar e álcool e foi incentivado a continuar os estudos.

Depois, ingressou na Faculdade de Ciência e Tecnologia da UNESP de Presidente Prudente em 2008 e, em 2011, formou-se com diploma de mérito acadêmico, por ter o melhor desempenho entre a turma.

Em seguida, Elvis foi aprovado no exame para entrar no mestrado em Astrofísica no INPE. No ano seguinte já estava no INPE, em São José dos Campos, cursando Mestrado em Astrofísica, concluído em 2014, e ingressando em seguida no doutorado.

No INPE, Elvis estuda as ondas gravitacionais. Previstas pela Teoria da Relatividade Geral de Albert Einstein em 1916, são deformações no espaço-tempo que se propagam na velocidade da luz. Elas foram detectadas diretamente, pela primeira vez, em setembro de 2015, cujo anúncio foi realizado no final de fevereiro do ano passado, um século depois dos estudos iniciados por Einstein.




Fonte: Portal Siga Mais
+ VEJA TAMBÉM