22 de Novembro de 2017
18º/33º
NOTÍCIAS » LOCAL
11/11/2017

Se condenado, Ailton Basílio poderá cumprir pena de 12 a 30 anos

O caso é prioritário, normalmente demora 1 ano e meio, no máximo 2 anos para ser julgado

O suspeito Ailton está sendo acusado de homicídio qualificado. Ainda segundo a delegada, há várias qualificadoras que podem aumentar a pena do acusado, se condenado. "No caso dele, há várias qualificadoras. Primeira: consta no laudo do exame necroscópico, que é o meio cruel; outra qualificadora é a asfixia, que também consta no laudo; ele agiu ainda de forma que impossibilitou a defesa da vítima; e, por fim, a outra qualificadora do feminicídio, que é justamente matar por essa condição da vítima ser mulher. São 4 qualificadoras e cada uma delas vai aumentando a pena", citou a delegada Milena.

Se Ailton for condenado no Tribunal do Júri, a pena prevista para homicídio qualificado é de 12 a 30 anos. Segundo a delegada, não há previsão para a sessão do Tribunal do Júri. "Como ele é réu preso, o processo tem que correr mais rápido. O caso é prioritário, normalmente demora 1 ano e meio, no máximo 2 anos para acontecer esse julgamento. Isso vai depender também da linha de defesa do advogado dele".

Na cadeia

Não há informações da recepção de Ailton na cadeia. A delegada disse que não teve nenhuma informação sobre isso, porém, Basílio não esconde o que fez. "Ele está em cela normal. A única informação que temos é que, quando o pessoal esteve em Lutécia, conversou com ele para coletar digitais para realização de um exame. Ele continuou contando tudo para os funcionários sobre o crime. Ele tem consciência de tudo o que fez, sabe da gravidade, sabe que vai ficar preso, que a condenação é uma coisa bem possível e que, agora, vai arcar com o que ele fez", finalizou a delegada.


Redação Diário de Tupã
+ VEJA TAMBÉM