21 de Setembro de 2018
18º/33º
NOTÍCIAS » LOCAL

Redução do salário de vereadores gera discussão durante sessão da Câmara

Atualmente os parlamentares da cidade recebem R$ 6,9 mil por mês. O vereador Paulo Henrique usou a tribuna para discutir o tema.

O salário dos vereadores voltou a ser pauta de discussão na Câmara Municipal de Tupã. Na sessão do último dia 26 de fevereiro, o clima do legislativo esquentou quando o tema veio à tona pelo vereador Paulo Henrique de Andrade (PPS). Atualmente, os vereadores tupãenses recebem pouco mais de R$ 6 mil reais.

Apesar da discussão iniciada, nenhuma proposta foi apresentada até então. O vereador Paulo Henrique usou a tribuna para afirmar que foi uma promessa de campanha, que ele gostaria de cumprir. "Acho muito um salário deste valor para um município que vem enfrentando dificuldades”, afirma o vereador.

O vereador ainda comparou o salário do legislativo ao de um professor do ensino infantil, em que é necessário realizar cálculos para se efetivar um aumento aos professores, algo que não é necessário no poder público.

Segundo Paulo Henrique, o assunto foi pautado para discussão na sessão para que o tema não seja prorrogado até o último ano de mandato, de modo a não ser confundido com o que ele nominou como "politicagem”. Caso o projeto seja apresentado, o vereador precisaria de cinco votos a favor para que o projeto fosse levado à diante na Câmara Municipal.

A favor da redução, o também vereador Charles dos Passos cumpriu com a palavra e afirmou, mais uma vez, que assinaria em conjunto com o vereador Paulo Henrique o projeto para a redução dos salários dos vereadores de Tupã. "Não tirarei meu apoio, uma vez que empenhei minha palavra”, afirmou.


Paulo Henrique de Andrade


CONTRÁRIO

Em contrapartida, o vereador Ribeirão foi inteiramente contra a proposta discutida. "Me preocupa muito quando a política começa a ser feita pensando na eleição que está vindo. Quando a eleição está vindo tudo é bonito, quer fazer as coisas para ajudar o povo”, relatou Ribeirão.

Segundo o vereador, ele nunca foi cobrado por nenhum eleitor de que "o Ribeirão ganha muito”, e por isso não há necessidade de haver a redução, já que a remuneração é de direito dos legislativos.

"Nós homens públicos temos o dever de trazer resultados práticos, além de legislar, fiscalizar, a população não aceita só isso, elas querem saber o que será feito na cidade. Qual foi a sua contribuição? Eu não vou ter coragem de falar ‘a minha contribuição foi baixar o salário e dar ‘milão’ para a Santa Casa’”, afirmou o vereador fazendo referência a quantia de R$ 1 mil que o vereador PH doa todo mês a entidade.

Ribeirão, que enfatizou durante a sessão legislar durante 25 anos, relatou que neste tempo o tema foi debatido em todos os períodos de eleição. Segundo o vereador, por ano ele recebe cerca de 60 mil reais na câmara, e nunca deixou de retornar o valor de 500 mil.

Ribeirão enfatizou também que não é o momento do assunto ser discutido, já que no poder público há a Lei Orgânica, artigo 37, onde a votação pode ser realizada apenas de uma legislatura à outra, e não durante a gestão da mesa vereadora.

A principal justificativa para a proposta é de que a redução dos salários é um pedido antigo da população, além de uma economia para os cofres públicos.


Antônio Alves de Sousa, "Ribeirão"


Redação Tupacity
+ VEJA TAMBÉM