21 de Setembro de 2018
18º/33º
NOTÍCIAS » SAÚDE

Morador de Bastos continua internado na UTI em Tupã

Homem tem a suspeita de estar contaminado com o írus H1N1

Um homem de Bastos continua internado na Santa Casa de Tupã, com suspeita de estar contaminado com o vírus H1N1. Segundo informações, o homem está em observação. Ainda segundo dados, foi coletado material para exame visando confirmar ou descartar o vírus H1N1.

O vírus H1N1, popularmente conhecido como a "gripe do porco” ou "gripe suína”, já fez vítimas fatais em Tupã, sendo que em 2016 vários casos foram registrados na cidade.

A gripe H1N1, como qualquer gripe, pode afetar pessoas de todas as idades, mas, no período em que houve a pandemia, notou-se que o vírus infectou mais pessoas entre cinco e 24 anos. Foram poucos os casos de gripe H1N1 relatados em pessoas acima dos 65 anos de idade.

Gestantes, doentes crônicos (como diabéticos), crianças pequenas, pessoas com obesidade e com outros problemas respiratórios também estão entre os grupos mais vulneráveis para a gripe H1N1.

Os demais fatores de risco seguem a mesma linha daqueles enumerados para outros tipos de grupo. Permanecer em locais fechados e com um aglomerado de pessoas, levar as mãos à boca ou ao nariz sem lavá-las antes e permanecer em contato próximo com uma pessoa doente são os principais fatores que podem aumentar os riscos de uma pessoa vir a desenvolver gripe H1N1.

Sintomas de Gripe H1N1

Os sinais e sintomas da gripe H1N1 são muito parecidos com os da gripe comum, mas podem ser um pouco mais graves e costumam incluir algumas complicações também. Veja: febre alta, tosse, dor de cabeça, dores musculares, falta de ar, espirros, dor na garganta, fraqueza, coriza, congestão nasal, náuseas e vômitos, e diarréia.

Informação

Segundo a Prefeitura de Tupã, o paciente deu entrada no Hospital Santa Casa de Tupã no dia 28 de março com suspeita de H1N1. Como é uma suspeita, o setor de Vigilância Epidemiológica e o setor de CCIH do hospital recolheram material, que foi encaminhado para o Instituto Adolfo Lutz, em Marília, onde é feito o exame.

"Mesmo o paciente não sendo de Tupã, mas de Bastos, o setor de Vigilância Epidemiológica estará acompanhando o caso. O paciente se mantém internado na UTI, aguardando o resultado do exame, que fica pronto em torno de 7 a 8 dias (quinta ou sexta-feira). Em Tupã, não houve nenhum caso da doença. Neste ano, há somente este caso, mas o paciente não é residente de Tupã, apenas está internado na Santa Casa. Mesmo não sendo de Tupã, a Secretaria de Saúde e o setor de Vigilância Epidemiológica estão acompanhando o caso e a evolução do paciente, monitorando de perto o quadro clínico do mesmo”, completou a enfermeira da Vigilância Epidemiológica, Joselaine Pio Rocha.

Ainda de acordo com a prefeitura, em Tupã não houve nenhum caso da doença em 2017. Neste ano, há somente este caso de Bastos, ou seja, o paciente não é residente de Tupã, apenas está internado.

Recomendações

A enfermeira da Vigilância Epidemiológica, Joselaine Pio Rocha destacou também as principais recomendações para evitar a contaminação pelo vírus da gripe H1N1. "Lavar sempre as mãos, principalmente após tossir e espirrar; utilizar sempre lenços descartáveis; deixar o ambiente sempre ventilado onde houver aglomeração de pessoas; cobrir sempre a boca, o nariz, quando espirrar ou tossir; após tossir sem a proteção, não tocar na região dos olhos, do nariz e da boca; não compartilhar objetos pessoais; evitar contato com pessoas suspeitas ou doentes; evitar aglomerações em épocas em que o número de casos da doença for alto, ou se tiver suspeitos; na época de vacina, todos os contemplados devem tomar a mesma (todas as pessoas que tiverem indicação devem aderir a vacina). Muitas vezes, a gente tem que correr atrás. Então essas são algumas recomendações para poder evitar a contaminação pelo vírus”.


Redação Diário de Tupã
+ VEJA TAMBÉM