17 de Agosto de 2018
18º/33º
NOTÍCIAS » LOCAL

Prefeito garante que caminhonete será mais útil a prefeitura

Após notificação da justiça, prefeitura suspendeu a licitação para compra de uma caminhonete que seria para o uso do chefe do executivo.

A Prefeitura de Tupã suspendeu na manhã de ontem a licitação que previa a compra de uma caminhonete cabine dupla, após receber notificação da Justiça que determinou a medida sob pena de busca e apreensão do veículo.

A licitação para compra da caminhonete gerou polêmica na cidade, após denúncias de que o veículo geraria novos gastos para a prefeitura que, segundo a representação movida no Ministério Público, estaria com dificuldades até mesmo para fornecer medicamentos.
Segundo a denúncia encaminhada ao Ministério Público, a caminhonete pleiteada pela prefeitura teria custo de cerca de R$ 100 mil. Na verdade, custaria um pouco mais.

O prefeito José Ricardo Raymundo (PV) afirmou que recebeu a notificação judicial para suspender a licitação. Ele explicou, porém, que irá recorrer da decisão judicial. "Vamos recorrer dessa sentença e, uma vez obtendo ganho de causa em segunda instância, vamos abrir uma nova licitação para compra do veículo pleiteado”, afirmou.

O prefeito insistiu que a compra da caminhonete dará mais utilidade para os trabalhos da prefeitura, em vez da compra de um carro de luxo. "A caminhonete tem mais utilidade. Quando há eventos, a prefeitura pode comprar materiais em São Paulo e trazer na caminhonete, algo que não dá para fazer com um carro de luxo”, disse.

"Depois de um tempo de uso, esse veículo pode ser destinado para os trabalhos realizados pelas equipes do Almoxarifado. Ou seja, ela continuará tendo uso. Os gastos com a caminhonete serão menores do que aqueles que temos com o Jetta, por exemplo”, acrescentou.

A prefeitura reiterou também que o veículo oficial atualmente utilizado, modelo Jetta, foi adquirido há mais de 10 anos. "O veículo, que conta com mais de 270 mil quilômetros rodados, vem apresentando alto custo de manutenção”.

Por tudo isso, o prefeito acredita que a aquisição será aprovada. Isso deve acontecer com base nas explicações que serão apresentadas. Além disso, a compra será feita dentro de todos os seus aspectos legais, não havendo razão para tanta polêmica, a não ser o absoluto desconhecimento da causa.

Diário de Tupã
+ VEJA TAMBÉM