17 de Agosto de 2018
18º/33º
NOTÍCIAS » SAÚDE

Profissionais da Educação podem receber vacina nas unidades de saúde

A meta da Secretaria da Saúde é que seja imunizada 90% da população prioritária.

A Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza continua imunizando a população dos grupos prioritários em todas as unidades de saúde do município até 1º de junho.
Fazem parte do grupos prioritários as crianças entre 6 meses e menores de 5 anos; as Gestantes; Puérperas (até 45 dias após o parto); Trabalhadores da saúde; Indígenas; Pessoas com doenças crônicas/imunodeprimidos; Pessoas com 60 anos ou mais e os funcionários que atuam nas escolas públicas e privadas do município.

A enfermeira responsável pelo setor de Vigilância Epidemiológica, Joselaine Pio Rocha, reforça que todos os profissionais que atuam nas escolas, estão aptos a receberem a dose da vacina.

"Todos os profissionais que atuam nas escolas, desde os professores, inspetores, motoristas, enfim, podem procurar as unidades para serem imunizados”, disse. "Existem muitas dúvidas no setor da educação, muitos acham que apenas os professores podem tomar a vacina. Por isso, ressaltamos que todos aqueles profissionais podem procurar o posto de saúde mais próximo”, completou Joselaine.

De acordo com a última atualização da Secretaria Municipal de Saúde, feita em 17 de maio 58% da população já foi vacinada. A meta da pasta é que sejam imunizadas 90% da população prioritária.

Orientações

Para que a vacinação seja feita de forma rápida e organizada é necessário que a população leve caderneta de vacinação para conferência das doses.

Caso o documento tenha sido perdido ou extraviado, a recomendação é procurar a mesma unidade de saúde que foi vacinado anteriormente, para acesso ao arquivo.
Para qualquer tipo de instrução sobre atrasos na carteira de vacina, basta que a pessoa se dirija até unidade de saúde que seu bairro pertence e se orientar com a equipe na sala de vacinas.



Influenza

A influenza é uma infecção viral aguda que afeta o sistema respiratório. É de elevada facilidade de transmissão, que pode acarretar em epidemias.
A transmissão ocorre por meio de secreções das vias respiratórias da pessoa contaminada ao falar, tossir, espirrar ou pelas mãos, que após contato com superfícies recém‐contaminadas por secreções respiratórias pode levar o agente infeccioso direto a boca, olhos e nariz.

Assessoria
+ VEJA TAMBÉM