17 de Novembro de 2018
18º/33º
NOTÍCIAS » SAÚDE

Unidades de saúde ainda possuem doses para vacinar contra o HPV

Vacina contra HPV é rotina no calendário vacinal e é encontrada em todas as unidades de saúde de Tupã

A Prefeitura de Tupã, por meio do Ministério da Saúde, está reforçando a convocação para que pais ou responsáveis de meninas de 9 a 14 anos e meninos de 11 a 14 anos procurem uma Unidade de Saúde para a imunização contra o HPV (papilomavírus humano).

De acordo com a enfermeira responsável pelo setor de Vigilância Epidemiológica, Joselaine Pio Rocha, a campanha de intensificação segue ativa o ano todo no calendário vacinal e tem o objetivo de prevenir ao desenvolvimento de vários tipos de cânceres (oral e genital).

"A vacina contra o HPV está disponível durante todo o ano na rotina de atendimento das Unidades de Saúde. Existem diversos tipos de vírus HPV e alguns têm potencial de provocar câncer em homens e mulheres, incluindo o câncer de colo de útero, de orofaringe ou o câncer de pênis. A principal forma de transmissão do vírus é pela via sexual e para garantir a proteção é importante que a vacina seja aplicada, preferencialmente, antes do início da vida sexual”, explica.

Segundo ela, a vacina só é eficiente se for seguido o esquema completo com duas doses, sendo que a segunda deve ser aplicada seis meses após a primeira dose. "Meninos e meninas precisam receber as duas doses conforme o indicado no esquema vacinal ou a proteção não terá o efeito desejado. É importante lembrar ainda que a vacina não protege contra outras doenças sexualmente transmissíveis. Para evitar doenças como HIV, sífilis ou hepatite, a melhor forma de prevenção é o uso do preservativo nas relações sexuais”, destaca.

Imunização

A Secretaria Municipal de Saúde de Tupã iniciou a oferta da vacina contra o HPV na rede municipal por meio de campanha no ano de 2014, incluindo a campanha no esquema vacinal do município. O HPV (sigla em inglês para Papilomavírus Humano) é um vírus que infecta pele ou mucosas (oral, genital ou anal), tanto de homens quanto de mulheres.
A principal forma de transmissão é pela via sexual, que inclui contato oral-genital, genital-genital ou mesmo manual-genital. No caso dos tipos de HPV, que têm potencial para causar câncer, pode ocorrer o surgimento de lesões precursoras. Caso essas lesões não sejam identificadas e tratadas precocemente, podem progredir para o câncer, principalmente o de colo de útero, mas também na vagina, vulva, ânus, pênis, orofaringe e boca.


Unidades de saúde intensificam vacinação de crianças e adolescentes contra o HPV


Assessoria de Imprensa
+ VEJA TAMBÉM