18 de Junho de 2019
18º/33º
NOTÍCIAS » LOCAL

Começa a procura por material escolar no comércio de Tupã

O ano começou e, entre as preocupações comuns de todo início de ano, a compra do material escolar tira o sono de alguns pais, preocupados com os valores que precisam reservar para estojos, cadernos e livros, entre outros itens.

Janeiro é o mês de grande movimento nas papelarias da cidade, embora hoje muitas lojas populares e supermercados também ofereçam os principais itens, o que permite ampliar as pesquisas de preços.

As listas dos materiais escolares entregues com antecedência pelas escolas e o pagamento do 13º salário, são fatores positivos para as vendas, mas, por outro lado, as listas de material escolar mais "enxutas”, o fornecimento de material didático pelos governos e a concorrência, são alguns dos desafios enfrentados pelos empresários do setor.

Os produtos que normalmente são mais vendidos são os cadernos, desde brochura até universitário, lápis de cor, canetinhas, papel sulfite, agenda escolar e massinha de modelar.

Uma vendedora de uma tradicional loja na Tamoios disse que outro produto está sendo muito procurado neste ano: são as mochilas e lancheiras, com tema de super-heróis e personagens de desenhos infantis. No estabelecimento, a movimentação de pais já é grande.

Para os especialistas, alguns passos devem ser seguidos para que a temida lista enviada pelos colégios não gere dívidas ou pese no orçamento. Em alguns casos, dependendo do esforço em economizar, o custo pode ser cortado pela metade.

Algumas dicas são, no caso de livros, entrar em contato com conhecidos ou fazer uma consulta com pais de outros alunos, para encontrar um exemplar em bom estado para ser reutilizado. Reúna de quatro a cinco pais para negociar com as papelarias a compra de livros mais caros. A loja pode oferecer condições mais vantajosas diante do número de interessados. E no caso de itens básicos, como lápis, borracha e cadernos, lojas populares oferecem preços mais acessíveis.

Redação Jornal Diário
+ VEJA TAMBÉM