21 de Março de 2019
18º/33º
NOTÍCIAS » LOCAL

Banco de sangue de Tupã precisa de doações

Com as festas de fim de ano, estoque de bolsas de sangue diminuíram consideravelmente.

Entre os meses de dezembro e janeiro o estoque de bolsas de sangue nos bancos de sangue é ainda menor. Muitos doadores costumam viajar nesse período de festividades e férias, reduzindo o número de doações.

Por outro lado, vale destacar que os acidentes de trânsito também apresentam alta nas rodovias, devido a maior movimentação de veículos, aumentando os registros de acidentes, com possibilidades de maior número de transfusões sanguíneas.

Para recuperar seus estoques, o Banco de Sangue da Santa Casa realiza diversas campanhas de doações com instituições de Tupã e região, seja com prefeituras, empresas, Tiro de Guerra, igrejas, entre outros. Neste mês, o Banco de Sangue ainda não informou a possibilidade de novas campanhas, mas a previsão é de que essas ações sejam retomadas a partir do mês que vem.

Enquanto isso, a população pode procurar o Banco de Sangue da Santa Casa para realizar as doações e colaborar com as pessoas internadas que precisam de transfusões.

O Banco de Sangue solicita que os doadores habituais não deixem de realizar suas doações de rotina, os homens a cada 60 dias e as mulheres, a cada 90 dias.

Instituições e empresas interessadas em participar de campanhas para coleta de sangue, podem entrar em contato com o Banco de Sangue para agendar as coletas, pelo telefone (14) 3404-5555.

Doações

Para doar sangue, o interessado deve possuir idade entre 15 e 69 anos (menores de 18 anos precisam de documentos e autorização dos responsáveis), pesar no mínimo 50 kg, estar em boas condições de saúde, descansado e alimentado. Também é preciso apresentar documento original com foto.

Os impedimentos temporários são para gestantes, lactantes, quem ingeriu bebida alcoólica pelo menos 12 horas antes da doação, fez tatuagem nos últimos 12 meses ou teve resfriado em menos de sete dias. Os indivíduos que passaram por uma situação em que há risco de adquirir doenças sexualmente transmissíveis, precisam aguardar pelo menos 12 meses.

Caso a pessoa tenha contraído hepatite após os 11 anos de idade ou tenha evidência clínica de hepatites B e C, Aids (vírus HIV), doenças associadas ao vírus HTLV I e II e doença de Chagas, malária ou fez o uso de drogas ilícitas injetáveis, não poderá doar sangue permanentemente.

Redação Jornal Diário
+ VEJA TAMBÉM