25 de Agosto de 2019
18º/33º
NOTÍCIAS » SAÚDE

Com 339 pacientes, UPA registrou maior dia de atendimentos de 2019 nesta segunda (8)

Uma das medidas que devem ser tomadas para resolver o problema é a implantação de uma "sentinela”, ou seja, um ponto fixo e específico para o atendimento de casos de dengue

Pacientes que precisam de atendimento na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Tupã estão enfrentando longos períodos de espera nos últimos dias. A unidade tem batido recordes de procura. De acordo com a enfermeira responsável pela UPA, Erika Doretto, as segundas-feiras têm sido os dias de maior pico.

Ela explicou que ontem (8) foi considerado o dia com maiores números de atendimentos de 2019, durante as 24 horas de plantões. Foram 339 atendimentos e 70 casos positivos de dengue. O recorde é seguido pelo dia 18 de março, com 310 atendimentos e 23 pessoas diagnosticadas com dengue e do dia 25 (do mesmo mês), com 315 atendimentos, sendo 36 casos de dengue.

Segundo Erika, muitos pacientes procuram a Unidade por sentirem sintomas característicos da dengue. "O mosquito Aedes agypti tem sofrido diversas mutações, fazendo com que os sintomas sejam cada vez mais diferentes. Esse fator exige atenção dos profissionais de saúde”, relatou.

As inúmeras suspeitas de dengue fazem com que os atendimentos demorem. "O paciente exige atenção. Temos que acolher e identificar os sinais, fazer a prova do laço, onde muitas vezes a pessoa acaba passando mal e precisa ser socorrida, temos que preencher ficha de notificação e a carteirinha de controle da doença, além de orientar sobre cuidados que deve tomar”, explicou Erika.

Mês de abril


Ainda segundo Erika, existe uma "série histórica” do surto doença no município, que não têm uma explicação oficial. "É recorrente sempre que temos uma epidemia de dengue em Tupã, que o ‘boom’ da doença seja a partir de abril. Foi assim nas últimas vezes também”. Ela contou que as notificações devem começar a diminuir em meados de junho.
"A gente já passou por alguns anos parecidos como esse. Nos anos em que houve epidemia de dengue no município, como 2013, 2015 e 2016, foi mais complicado. Já em 2017 e 2018, foi mais tranquilo, porque tivemos poucos casos da doença. Em 2019, o fato volta a ocorrer”, explicou.

Fazendo uma retrospectiva, o ano de 2018 registrou oito casos; 2017, seis casos e 2016, cem casos. Já em 2013, 2.378 casos. O maior número de casos de dengue já registrado em Tupã foi de 2.393, em 2015: naquele ano, quatro pessoas morreram pela doença.

Sentinela

Erika explicou que a Secretaria Municipal de Saúde vem estudando diversas maneiras para amenizar o problema de lotação na UPA. Uma das medidas que devem ser tomadas ainda nesta semana é a implantação de um ponto "sentinela”, ou seja, um ponto fixo no município, específico para o atendimento a estes pacientes.

"Tudo isso envolve muito estudo e trabalho. Queremos oferecer um atendimento adequado para casos de dengue, sem prejudicar pacientes com outros casos de doença. A ideia é que a ‘sentinela’ funcione das 10 da manhã até às 22 horas durante a semana”.

O ponto será instalado em uma sala acoplada à Unidade de Saúde da Família da Vila Formosa. "Já temos macas, poltronas de hidratação, medicamentos necessários, enfim. Ainda nesta semana divulgaremos mais detalhes deste serviço”, frisou Erika.



339 atendimentos foram registrados ontem na UPA


Redação Tupacity.com / Foto: Redes Sociais
+ VEJA TAMBÉM