13 de Dezembro de 2019
18º/33º
NOTÍCIAS » SAÚDE

Comunidade Católica Pietá oferece tratamento para pessoas com depressão em Assis e região

A comunidade possui diversos núcleos de apoio, com acompanhamento aos interessados

A Comunidade Católica Pietá foi fundada há 19 anos por José Roberto Begosso, que também é presidente da entidade. O intuito é de prestar atendimento às pessoas portadoras de transtornos afetivos e sofrimento emocional, como depressão.

Begosso explica que a Comunidade realiza o processo de acolhimento através dos seus núcleos, localizados no Estado de São Paulo nas cidades de Cândido Mota, Assis, Quatá, Ourinhos, Piraju, Santa Cruz do Rio Pardo, Espírito Santo do Turvo, Ubirajara, e no Estado do Paraná em Jacarezinho e Siqueira Campos. A entidade também está em formação de núcleos em Marília e Paranavaí.

"Nestes núcleos é feito o primeiro acolhimento e a triagem, quando avaliamos o estado emocional, o uso de medicamentos. Se necessário, nós indicamos o atendimento por profissionais da área. Estas triagens são realizadas quantas vezes forem necessárias. Quando é verificada uma maior necessidade, a pessoa é encaminhada para a nossa Casa de Acolhimento”, conta.

Begosso explica que na Casa de Acolhimento as pessoas permanecem por 11 dias, dando entrada na segunda-feira, às 12h, e permanecendo até às 22h da quinta-feira da semana seguinte.

A equipe da Casa de Acolhida da comunidade é formada por profissionais de diversas áreas, como massoterapeutas, terapeutas e educadores físicos.

Na casa, os internos recebem tratamentos com o uso de aparelhos massageadores, neurotron, e participam de quatro sessões de relaxamento neuromuscular, com as técnicas de relaxamento desenvolvidas pelo médico Edmund Jacobson. Há ainda o uso de aparelhos para trabalhar a desintoxicação hidrolinfática, para quando há o excesso do uso de medicamentos e tabaco.

Na Casa de Acolhida há ainda uma sala sensorial, que trabalha os cinco sentidos externos, para abordagem de conteúdos relacionados à história pessoal de cada um, bem como terapias lúdicas e caminhadas diárias.

A Comunidade Pietá atende pessoas a partir dos 18 anos, de qualquer credo, e trabalha corpo, mente e área espiritual.

"Nestes 11 dias que ficam na Casa de Acolhida, os internos vivem um reencontro com sua própria história. São trabalhadas nas sessões de terapias, individuais e em grupo, questões hereditárias desde a gestação, nascimento, infância, adolescência e vida adulta”, ressalta.

Begosso explica que 90% dos casos é resolvido ainda no atendimento dos núcleos e, dos acolhidos, cerca de 80% são totalmente reintegrados, apresentando uma boa recuperação.

A Casa de Acolhida tem capacidade para atender até 15 pessoas ao mesmo tempo e durante o período de internação é cobrada uma taxa para os custos com alimentação, limpeza e higiene. A Comunidade Católica Pietá não possui fins lucrativos e tem uma equipe composta por 12 funcionários, que trabalham na Casa para a sua manutenção.

O atendimentos nos núcleos é gratuito e a média chega a cerca de 2 a 3 mil pessoas por mês, com prioridade para os casos de maior urgência.

"A nossa Casa de Acolhida é a única do país com esta proposta de atendimento. Temos a procura de pessoas do país todo e já atendemos pessoas da Argentina, Venezuela, Colômbia, Itália e Estados Unidos. A formação de um profissional para atuar em nossos núcleos e na casa é de cerca de cinco anos. Por isto não conseguimos ampliar os atendimentos de forma rápida”, explica.

Begosso ressalta ainda que a estatísticas da Organização Mundial da Saúde de quatro anos atrás indica que a cada 30 segundos uma pessoa comete suicídio no mundo, e a cada três segundos uma pessoa tem pensamentos suicidas.

"A depressão é uma doença que pode atingir a todos, independente de classe social, idade ou religião. O diagnóstico é confirmado com a permanência de sintomas como tristeza frequente, diminuição da auto-estima, angústia, perda de interesse ou prazer pelas atividades do dia-a-dia, sentimento de culpa, falta ou aumento de apetite e de peso, pessimismo, variações do humor e falta de concentração. Nos últimos anos tivemos um aumento de 200% em casos de suicídios e tentativa de suicídios entre os adolescentes. Cada vez mais, crianças com idade de 3, 4 anos, apresentam distúrbios e fazem o uso de medicamentos. Cada vez é mais frequente também pessoas com transtornos de personalidade e o agente principal para a cura é a presença da família”, ressalta Begosso.

"Os pais precisam se fazer presente em toda a vida dos filhos. Até os três anos, a criança vive sua primeira infância; até os 12 anos é criança, depois até os 24 anos o jovem vive a adolescência. Mesmo já estando em uma idade de adulto, o emocional ainda é de adolescente e a presença dos pais e o ensinamento dos valores familiares são de extrema importância para que eles desenvolvam uma boa estrutura emocional”, considera ainda.

Os núcleos estão à disposição para atendimento de quem quiser, assim como a Casa de Acolhida, que pode ser visitada por todos que quiserem conhecer mais sobre a Comunidade e seus atendimentos.

Mais informações sobre os atendimentos podem ser obtidas pelo telefone (18) 99714-7590, ou pelo site http://comunidadepieta.com.br. No site há ainda informações sobre como se tornar um doador da comunidade. A Casa de Acolhida está localizada na Rodovia Fortunato Petrini, km 452, em Cândido Mota.


A Casa de Acolhida tem capacidade para atender até 15 pessoas


Os internos permanecem na Casa de Acolhida por 11 dias


A Casa de Acolhida da Comunidade Pietá é a única do país com este tipo de atendimento


Redação AssisCity/ Fotos: Divulgação
+ VEJA TAMBÉM