18 de Fevereiro de 2020
18º/33º
NOTÍCIAS » SAÚDE

Criança de Paraguaçu morre vítima de AVC e gera alerta em pais e responsáveis

Maria Vitória Oliveira da Cruz tinha apenas 5 anos de idade

Uma criança de Paraguaçu Paulista morreu após sofrer um AVC – Acidente Vascular Cerebral. A menina Maria Vitória Oliveira da Cruz tinha apenas 5 anos de idade e havia sido internada no Hospital Regional de Assis. O caso ocorreu na quinta-feira, 16 de janeiro, após ela passar mal, mas ela não resistiu e veio a óbito no dia seguinte.

Maria Vitória morava com a família na zona rural de Paraguaçu Paulista, no bairro São Matheus. Ela estudava na EMEF Profª Ivony Affini Matheus e tinha mais dois irmãos.

divulgação - Maria Vitória tinha cinco anos
Maria Vitória tinha cinco anos


Alerta para os pais e responsáveis

O caso chama a atenção de pais e responsáveis, porque nesta quarta-feira, 22 de janeiro, a menina Emanuelly Ferreira Alves, de 7 anos e moradora de Assis, morreu após sofrer uma isquemia cerebral. Trata-se da ausência ou diminuição do fluxo sanguíneo no cérebro, reduzindo assim a oxigenação do órgão.

Leia também: Aluna da EMEF Profª Maria Clélia Valim, de Assis, morre após sofrer isquemia cerebral

Estudos apontam que casos de AVC em crianças ocorrem com uma frequência bem menor do que em adultos. Enquanto entre os adultos a taxa é de 4 ou 5% da população, entre as crianças é de 0,1% a 0,2% da população infantil.

Causas e sintomas

As causas do AVC em crianças são diferentes das razões pelas quais ele acontece em adultos. Em geral, o derrame está associado a alguma outra condição, que pode ser uma má formação nas artérias, anemia falciforme, hemofilia ou alguma deficiência no sistema imunológico.

Os sintomas do AVC em crianças são muito nítidos e o mais comum é o déficit motor, quando a criança para de mexer um lado do corpo, não consegue andar, enrola a língua e para de falar. Na criança, diferente do adulto, os sintomas ocorrem de forma muito rápida.

A orientação é que, ao desconfiar de que uma criança está sofrendo um derrame, é chamar o serviço de emergência o quanto antes. Além disso, é possível verificar se as vias aéreas estão desobstruídas.

A língua enrolada merece atenção e manter a cabeça da criança elevada também poderá facilitar a drenagem do sangue e ajudar no atendimento.

Redação AssisCity
+ VEJA TAMBÉM