07 de Abril de 2020
18º/33º
NOTÍCIAS » LOCAL

Paróquias poderão ter que repensar atividades da Semana Santa devido à COVID-19

Novas orientações foram divulgadas por Dom Luiz Cipolini, bispo diocesano de Marília.

Devido ao aumento significativo da proliferação do Coronavírus no Brasil e em toda a nossa região, o bispo diocesano de Marília, Dom Luiz Antônio Cipolini, fez novas orientações seguindo a circular nº 04/2020, que complementa as recomendações da circular nº 03/2020.

Na primeira, foi decidido omitir a saudação da paz, bem como o costume de rezar a oração do Pai-nosso de mãos dadas, distribuir a Sagrada Comunhão somente sob a espécie de pão e na mão do fiel, distribuir a Sagrada Comunhão aos doentes com particular atenção, sobretudo se vários doentes forem visitados em sequência , manter ventilados os locais onde acontecem as celebrações e orientar os fiéis sobre atitudes básicas que previnem o contágio.

Além dessas orientações, que vem sendo seguida pelos fiéis desde o dia 2 de março, o bispo orienta ainda, até a primeira quinzena do mês de abril:

- Suspender a realização dos encontros, reuniões, retiros, cursos e eventos em nível paroquias, regionais e diocesanos, como encontro de catequese e curso de teologia para Leigos e Consagrados (CTLC).

- Cancelar as noites de confissões comunitárias quaresmais. Para tal, solicito aos padres, que, em locais apropriados, dediquem atenção especial para com o sacramento de reconciliação, com horários diários e noturnos que auxiliem os fiéis na preparação da Páscoa do Senhor.

- Redobrar cuidados higiênicos nas visitas domiciliares aos enfermos e idosos e suspender os trabalhos pastorais em hospitais, asilos e unidades de saúde, garantindo aos fiéis, em casos extremos, o Sacramento da Unção dos Enfermos.

- Repensar a programação paroquial das "24 Horas para o Senhor” e da Semana Santa, evitando grandes concentrações e celebrando-as com discernimento, sem perder a piedade da ação eclesial.

- Intensificar a oração em família, Igreja doméstica, e promover a veiculação das missas nos meios de comunicação e nas redes sociais, para o favorecimento dos fiéis que pertencem ao grupo de risco da doença, e, por isso, estão impedidos, momentaneamente, do contrato com a assembleia.

- Recomendo que as celebrações das missas tenham curta duração e, se possível, acrescentem-se novos horários para que evitemos grandes aglomerações.

Dom Luiz salientou ainda que essas medidas foram tomadas para evitar a transmissão viral, sobretudo prevenir as crianças, idosos e enfermos, que compõe o grupo de risco da doença.


Redação TupãCity
+ VEJA TAMBÉM