01 de Abril de 2020
18º/33º
NOTÍCIAS » REGIÃO

Assisense se voluntaria para ajudar idosos e mães durante pandemia do Coronavírus

Ela se colocou à disposição para fazer compras e até cuidar dos filhos de amigas e conhecidas

O mundo todo está bastante apreensivo desde o início da pandemia do Coronavírus. A doença já vitimizou milhares de pacientes em diferentes países e mudou a rotina de muitas pessoas, que neste momento devem evitar aglomerações e contatos próximos.

Diante deste cenário, atitudes de solidariedade e apoio social também estão ganhando força. É o caso da Juliana, uma assisense que se voluntariou para ajudar idosos e mães solos durante a pandemia.

Ela contou para a reportagem do AssisCity que teve a ideia após ver a iniciativa de uma paulistana e também quis ajudar.

"Eu trabalho em uma agência de turismo e a grande maioria dos nossos clientes é da terceira idade. Nós inclusive tínhamos um encontro marcado essa semana, que foi cancelado para evitar o contágio, já que os idosos são tidos como o grupo de maior risco. Por isso eu achei importante me colocar à disposição para ajudar, pois esse é um momento de pensar no coletivo", afirma.

Nas suas redes sociais, Juliana publicou a seguinte mensagem: "Amigos e clientes da melhor idade/grupo de risco que não se sentirem confortáveis de ir ao mercado ou fazer algo na rua, me coloco a disposição para ajudá-los. Assim como mães solo, que precisarem resolver algo urgente e não tem com quem deixar seu filho, posso tentar ajudar também".

Divulgação - Juliana se inspirou em um recado deixado pela moradora de um prédio em São Paulo
Juliana se inspirou em um recado deixado pela moradora de um prédio em São Paulo


Segundo ela, a iniciativa pode ser replicada por cada pessoa de um determinado grupo, seja no prédio, na empresa, na igreja ou até mesmo na vizinhança.

"A gente não precisa se expor ao risco, inclusive porque sabemos que hoje em dia não dá para chegarmos na casa das pessoas desconhecidas porque pode ser perigoso, infelizmente. Mas isso não nos impede de ajudar nossa própria comunidade. A ideia é incentivar sua própria rede de apoio, para que os demais saibam que pode contar com você em um momento de urgência ou dificuldade", salienta.

Juliana também disse que esse é o momento de deixarmos o egoísmo de lado e pensarmos de uma maneira coletiva.

"Acredito que esse seja o momento de nós crescermos como humanidade. É preciso deixar o egoísmo de lado e olhar com mais empatia. Conhece uma mãe-solo que precisa resolver algo urgente e não tem com quem deixar o filho? Vai ao supermercado e pode trazer alguns itens para o seu vizinho idoso? É jovem e pode evitar ir às festas, baladas ou espaços de muita aglomeração? São atitudes simples que com certeza podemos fazer para passarmos por isso de uma forma mais leve", finaliza.

Redação AssisCity/ Foto: Divulgação
+ VEJA TAMBÉM