01 de Abril de 2020
18º/33º
NOTÍCIAS » REGIÃO

Polícia Civil prende falso médico que vendia remédio para Coronavírus em Presidente Prudente

Prisão em flagrante ocorreu no final da tarde desta quarta-feira, 18 de março

A Polícia Civil prendeu um falso médico que vendia remédio para o Coronavírus em Presidente Prudente.

A Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Presidente Prudente recebeu nesta segunda-feira, 16 de março, a denúncia de que um homem, aproveitando-se da pandemia sobre o novo Coronavírus (COVID 19), se apresentava como médico e estaria vendendo "medicação eficaz no combate ao referido mal".

Iniciadas as investigações, a equipe especializada identificou o suspeito. A Autoridade Policial responsável representou pela concessão do mandado de busca domiciliar, que foi executado por policiais na tarde desta quarta-feira, 18 de março.

No local, os policiais verificaram que se tratava de um farmacêutico, graduado em universidade pública e com especialização em Química, além de mestrado e doutorado.

divulgação - A medicação
A medicação "milagrosa” era comercializada em frascos com a identificação fármaco "ParowOff Coron” contendo 30, 60 ou 90 capsulas, e os preços variavam entre R$ 20,00 e R$ 55,00


A Polícia Civil informou que o homem induzia, através de um vídeo hospedado em uma plataforma de grande veiculação, com chamamento através de duas redes sociais de mesma proporção (Instagram e Facebook), fazendo crer que era médico e apresentar-se como especialista titulado em faculdade de Medicina.

O homem anunciava que havia desenvolvido uma fórmula que blindava as pessoas na contaminação pelo Coronavírus com o anúncio: "Como se proteger contra o Corona e fortalecer a imunidade, fórmula anti Coronavírus parowoffcoron (vitaminas e minerais específicos e em dosagem ideal para proteger, barrar, bloquear e blindar o seu organismo contra essa nova preocupante pandemia)".

A medicação "milagrosa" era comercializada em frascos com a identificação fármaco "ParowOff Coron" contendo 30, 60 ou 90 cápsulas, vendidas em preços que variavam entre R$20,00 e R$ 55,00.

O investigado se apresentava em uma imagem fotográfica, vestido de um jaleco branco, com identificação de duas universidades, ao lado de um quadro mural com fórmulas de propriedade matemática. Ele levava aos interessados a falsa impressão de que se tratava de fórmula científica com indicações suficientes para o convencimento da eficácia da substância. Na chamada da rede de navegação de internet, o homem apresentava a seguinte frase: "divulgue e ajude a salvar vidas!".

Na comunicação escrita da sua rede social, o falso médico também usava o chamamento para o vídeo, rogando às pessoas que ajudassem a salvar milhares de vidas com o referido vídeo. "Essas vitaminas e minerais em doses específicas foram intensamente estudadas e relacionadas à coadjuvação do fortalecimento do sistema imunológico! (assista até o final)".

O falso médico responderá pelo crime de falsificação, corrupção, adulteração ou alteração de produto destinado a fins terapêuticos e medicinais, com pena que pode variar entre 10 e 15 anos e multa, segundo o art. 273 do Código Penal.

Divulgação
+ VEJA TAMBÉM