23 de Janeiro de 2022
20º/30º
Entretenimento - Colunistas

Dores da Alma

Andréia Agostin é Terapeuta Neurolinguística com formação em Coaching, Eneagrama, Hipnose, PNL, Pompoarismo, Tantra e Terapia Sistêmica. Ela assina uma coluna super empoderada no TupãCity

Hoje meu coração está apertado...
Todos os dias atendo mulheres no meu consultório, cada qual com sua história e sua dor...
Sempre começo meus atendimentos perguntando se está tudo bem?
Mas é uma pergunta meio idiota, concorda?
Afinal de contas, se me procuram é porque não, não está tudo bem!

Já parou pra pensar o quanto há pessoas tristes a nossa volta?
Talvez você mesmo seja uma delas...
A morte de uma pessoa querida ou de um animal de estimação, a saudade que aperta o peito, a doença grave na família, traição, separação, desemprego, falência, dívidas, fome...
São tantas as situações que nos visitam e a pergunta é: como ser feliz em meio a tantos sofrimentos? Como suportar a dor da nossa alma?

Um dia estamos bem e no outro bate aquela irritação, desânimo, desmotivação...
Não conseguimos colocar em prática nossas metas, se é que ainda temos metas...
Sonhar já pode ter virado um pesadelo hoje em dia...
Então decidi escrever...
Decidi compartilhar minha humilde verdade.
A verdade que tem me nutrido até hoje.
Talvez ela te ajude refletir, se me permitir...
Vamos lá!

Tudo nessa vida tem um lado bom, tem que ter!
Acredito que por trás de uma dor, há de haver um propósito maior!
Talvez esse propósito seja o amor...
Então sempre que a dor me visita, logo penso:

- Para onde devo ir agora?
- O que preciso deixar ir?
- Qual é o próximo movimento do universo?

Então me desapego da situação anterior que já não há mais como sustentar e me entrego ao novo, mesmo sendo desconhecido.
Acredito firmemente que não é para ser tão difícil!
Penso que se está difícil, algo deve estar errado!

É como um rio que contorna os obstáculos, ao invés de lutar contra eles.
Claro que os obstáculos diminuem a velocidade, claro que nos causam algum desconforto.
Porém, contornando, aceitando, acolhendo e desviando, aos poucos esses obstáculos vão sendo superados e o curso da vida segue adiante.

Seguindo adiante, novas paisagens vão nos presenteando por termos decidido prosseguir.
E assim, nas curvas da vida, o rio vai ganhando novas afluentes e ficando muito, muito mais forte.
Que essa metáfora possa nos trazer a certeza de que toda essa tristeza um dia vai passar...
E se você não está triste hoje, isso também vai passar.

Então, leve uma palavra amiga!
Se não puder, entregue silêncio ao invés de julgamento.
Há muita dor pelo caminho e só o amor é capaz de transmutar.
Por isso hoje, juntamente com minha terapeuta Kety Ferreira, farei uma live no meu instagram @andreia.agostin (clique aqui) sobre "Dores da Alma", compartilhe com quem está dolorido e com quem está disposto a amenizar uma dor...
Que propagar o amor, seja nosso mantra diário.
Andréia Agostin
*Andréia Agostin é Terapeuta Neurolinguística (CRTH-BR 8689), com formação em Coaching, Eneagrama, Hipnose, PNL, Pompoarismo, Tantra e Terapia Sistêmica. Casada há 22 anos, Andréia possui 3 filhos (15; 7; e 3 anos). Foi professora de ballet e dança de salão por mais de 15 anos. É advogada e empresária da Maxi Educa.
Receba em primeira mao nossas noticias!
Participe de nossos grupos:
+ VEJA TAMBEM