15 de Agosto de 2022
20º/30º
Entretenimento - Colunistas

E DEPOIS COBRAR

"Não tem como fugir do tema: eleições de Outubro é o assunto do momento. De fato, estamos falando de nosso futuro, a partir de 2023"

Não tem como fugir do tema: eleições de Outubro é o assunto do momento. De fato, estamos falando de nosso futuro, a partir de 2023. Ou vamos ficar lidando com o passado e o presente, que já não respondem às nossas necessidades mais urgentes?

Quero dizer que o passado representa a candidatura de Lula, que todos bem sabem o que foi, com todos os problemas que tiveram origem no seu governo, ou foi desgoverno?

Afinal de contas, ele nos presenteou com o Governo Dilma, com o fim do Programa Comunidade Solidária de Ruth Cardoso, com a Copa do Mundo no Brasil e os Jogos Olímpicos, para não falar numa maiores crises econômicas trazidas pela gestão PT. Ou vamos esquecer dos escândalos do BNDES, Mensalão e Petrolão?

De outro lado, o presente com a gestão de Bolsonaro com tudo de ruim que continua trazendo? Os esquemas das rachadinhas dele próprio e de seus filhos, dos funcionários fantasmas de seus gabinetes, os escândalos do MEC, do Ministério da Saúde, do Ministério da Defesa, do desgoverno do Itamaraty, da gestão criminosa da Amazônia, da Devastação do Meio Ambiente, das intervenções infantis e inoperantes na Petrobrás, do esquema de corrupção das vacinas, da incapacidade de gerir a pandemia da Cvodi-19?

Estamos, uma vez mais, diante de uma encruzilhada, como em outras vezes, de apostar no futuro, ou ficar diante de filmes já cansados e conhecidos, verdadeiros dramalhões de segunda categoria.

É chegada a hora de Renovação. Com pessoas novas, descomprometidas com o passado e o presente de muitas infelicidades. Neste primeiro turno, temos a chance de optar por candidatura nova, de novas propostas e ideias, de novas pessoas, de novas filosofias e culturas.

Alguns poderiam dizer que o futuro é arriscado, claro que é. Mas, e o passado e o presente não são arriscados ? Repetir tudo de novo ? Candidaturas velhas, ultrapassadas, com filosofias antigas, com políticos de quinta categoria ?
É hora de dar chance à renovação.

Novas candidaturas, pessoas e propostas. Sugiro ficar de olho no que as candidaturas têm a dizer. Que ideias, projetos e programas, apresentam ao eleitorado. E depois cobrar.
Roberto Kawasaki
*Roberto Kawasaki é economista pela FEAUSP, Professor dos cursos de Administração, Sistemas de Informação, Arquitetura e Urbanismo, Jornalismo, Publicidade e Propaganda e Engenharia de Produção da FACCAT e articulista da Folha do Povo e do TupaCity.com
Receba em primeira mao nossas noticias!
Participe de nossos grupos:
+ VEJA TAMBEM