28 de Setembro de 2020
20º/30º
ENTRETENIMENTO » COLUNISTAS

FELICIDADE

Victor B. Neves*

O que é a felicidade? Um objetivo de vida? Algo que pretende alcançar para se sentir satisfeito? Quando você estará satisfeito?

Quando falamos em felicidade, muitas pessoas talvez digam que as primeiras coisas que vem a mente são: pessoas felizes, sorrindo, com dinheiro, se divertindo, viajando etc. Mas e se eu lhe perguntar, o que é felicidade, saberia responder? Para você, felicidade é algo que se deve alcançar, ou algo que vivemos? Há todo momento ou aos poucos?
A felicidade talvez seja algo em que não exista um modelo ou uma formula mágica, para que possamos senti-la, não é algo também que podemos passar a vida toda procurando ou tentando alcançar. A felicidade é algo que vivemos em momentos, ninguém é feliz o tempo todo, se não seriamos tolos, mas temos picos de alegria, pequenos momentos de paz, que é o que nos faz nos sentirmos vivos.

Não podemos desejar ou querer viver esperando para que esse momento de uma "felicidade verdadeira”, uma vida plena chegue, um modelo criado apenas na nossa cabeça, para que quando chegar, só lá viveremos em paz, e seremos realmente felizes. Criar esse ponto de chegada ilusório, seria como criar o próprio labirinto, quando temos a oportunidade de estarmos vivendo cada um desses momentos aqui e agora.

Imagine que hoje seria seu ultimo dia de vida, faça uma lista com todas as suas conquistas, coisas que te deixaram realmente feliz que se orgulha e gostaria muito de levar ou gostaria de pensar no seu ultimo "suspiro” de vida. Agora lhe questiono, seu carro estaria nessa lista? Sua moto? Sua televisão? Seu salário faria alguma diferença? Talvez alguma dessas coisas, até poderiam realmente estar na lista, (claro, há muitos fatores que poderiam justificar caso estivessem) mas gosto de acreditar que não. Talvez poderiam também, estar momentos com sua família, momentos com seus amigos, coisas que fez que tenha influenciado diretamente na vida de uma outra pessoa, momentos que tenham tido maiores emoções, que são fundamentais para um sentimento de paz ou uma vida plena.

A muitas formas de felicidade, as momentâneas e as que também são de momentos, mas que de certa forma ficam gravadas em nos para sempre. Se de alguma forma esse ultimo parágrafo fez algum sentido para você, se satisfaça, se deguste do que há de belo para você nos momentos que tem hoje, no seu dia a dia.

Há felicidade em tudo o que fazemos, ou vivemos, é tudo questão de perspectiva, em como você resolve enxergar e sentir as coisas. E não adianta tentar fazer com que o outro tenha a mesma visão sobre a vida ou sobre o mundo que você tem, as escolhas, as visões e as decisões de cada um, é totalmente individual e única. Como também não adianta tentarmos fazer alguma outra pessoa feliz de uma hora para outra, como em um passe de mágica, por mais próximo que seja e por mais que a amemos muito. Só o que podemos fazer é mostrar os caminhos mais "fáceis” de se seguir e só cabe a ele próprio decidir qual vai querer trilhar. E caso não escolha o que talvez você esperasse e você queria, não se culpe, não se julgue e não o julgue. Apenas aceite. Somos humanos e não temos controle sobre tudo, e talvez nunca vamos ter independente da situação. E só o que nos resta é aceitarmos isso, aceitar a nossa impotência e isso não nos faz mais ou menos felizes.

As coisas não são boas ou más, talvez não exista um sucesso ou fracasso, mas sim a forma de como decidimos ver e aceitar cada situação, estando ou não ao nosso controle. Se é que podemos realmente ter controle sobre algo. Além de nós mesmos. Mas ainda sim, gostariam que refletissem.

Existem três tipos de pessoas, a pessimista, a otimista e a intimista. A pessimista é a pessoa que independente da situação, não consegue ver algo bom naquilo, por mais que seja bom, ainda acredita que pode e vai dar algo errado, de modo que seja para não se frustrar e não se sentir infeliz ou apenas por não conseguir enxergar um lado bom mesmo. A otimista, acredita muito que as coisas que quer irão dar certo, por mais ruim que a situação seja e esteja, gosta de crer que ira dar certo para se sentir feliz. E existe a intimista, que acredita muito que as coisas que quer, irão dar certo, mas não apenas acredita, mas trabalha para dar certo, mesmo que de errado. Para no "fim”, também se sentir feliz.

E você, está preparado para trabalhar e fazer-se feliz, mesmo que muitas coisas de errado? De valor as "pequenas” coisas, corra para enxergar os "pequenos” momentos, repense no fim do dia se realmente teve um dia infeliz ou teve apenas alguns minutos de infelicidade. Tudo é questão de perspectiva e da importância que da para aquilo. Será Se não, ta esperando o que?

Victor Breno Neves
*Victor B. Neves é estudante de psicologia na Faculdade da Alta Paulista (FAP), associado do Leo Clube de Tupã. Escritor, compositor, vocalista e baterista da Banda Vepp, também residida na cidade de Tupã. Victor busca de diversas formas pensar e repensar sobre os pré-conceitos que temos, sobre nós mesmos, nosso dia-a-dia e nossa vida. Sendo assim, tentando estar diariamente ressignificando o próprio sentido e o próprio sentimento.
+ VEJA TAMBÉM