03 de Outubro de 2022
20º/30º
Entretenimento - Colunistas

Mais uma guerra

Por Roberto Kawazaki: Um país livre pode mudar de membro de organismo multilateral? Sair da influência Russa e se adentrar no mundo ocidental comandado pelos EUA?



Mais uma vez, Guerra. Impressiona como certos mandatários são insensatos. Por razões que podem ser perfeitamente contornáveis, questões resolvidas com diplomacia, negociação numa mesa, com auxílio do Conselho de Segurança da ONU, no entanto, de nada valeu: GUERRA.

As partes não sabem exercitar a boa política internacional. De um lado, a Ucrânia quer sair da órbita de influência do antigo Pacto de Varsóvia, comandado pela ex-URSS, hoje Rússia, e entrar na OTAN, pacto militar comandado pelos EUA. Obviamente que a Rússia não quer perder influência, inclusive na sua vizinhança, para o Ocidente. Além disso, o governo da Ucrânia sofre com movimento separatista-pró-Rússia, que contesta essa aproximação com a OTAN.

Enfim, o jogo é esse. Um país livre pode mudar de membro de organismo multilateral? Sair da influência Russa e se adentrar no mundo ocidental comandado pelos EUA? O grande problema é que os mandatários tomam suas decisões tresloucadas e quem padecem com mortes, mutilações, perdas patrimoniais, devastação social e econômica, são as populações desses países e do resto do mundo, como sempre os inocentes pagam a conta. Veja que o mundo todo sofrerá.

Para se ter uma ideia, a Ucrânia produzia cerca de 17% do milho mundial, o que impactará o preço, a produção e consumo de milho do mundo. Na nossa região de forte Avicultura, com o aumento do preço do milho, matéria-prima da ração, o preço da ração para a Avicultura subirá e com os preços dos ovos e da carne de frango subirão. Quem pagarão as contas ? Claro que é o povo, como
sempre.

Se não bastassem os efeitos desastrosos da pandemia da Covid-19 sobre a Economia Mundial, que trouxeram desabastecimentos nos sistemas produtivos em todo o mundo, causando baixasnas ofertas de bens de bens e mercadorias e elevando os preços dos produtos a serem pagos pelos consumidores em todo o mundo. Ou seja, inflação em crescimento causando sofrimento nas populações
mais pobres.

Outro caso é o Petróleo, cujos preços devem subir drasticamente, impactando no final, nos preços que serão pagos pelos consumidores de óleo diesel, gasolina, resinas, tintas, plásticos, polímeros, etc. Obviamente que citei apenas dois casos, com isso, as bolsas de valores desabarão, as especulações do ouro , dólar dispararão. Isto é, os sistemas produtivos serão prejudicados, as especulações serão beneficiadas.

A verdade é que as vidas humanas serão ceifadas por decisões estapafúrdias de governantes. Se já não bastassem os inúmeros
problemas que já prejudicam a humanidade. Pergunta que não pode calar: o Presidente Bolsonaro apoiou a Rússia, assim sendo, apoia a Guerra entre Russos e Ucraniamos? Aliás, a viagem à Rússia e Hungria foram totalmente inoportunas, injustificáveis e impróprias. Ou não foram?

Por estas e por outras que as eleições de 2022 serão de voto anti-bolsonaro, da mesma forma que nas eleições de 2018 foram de
voto anti-PT.
Roberto Kawasaki
*Roberto Kawasaki é economista pela FEAUSP, Professor dos cursos de Administração, Sistemas de Informação, Arquitetura e Urbanismo, Jornalismo, Publicidade e Propaganda e Engenharia de Produção da FACCAT e articulista da Folha do Povo e do TupaCity.com
Receba em primeira mao nossas noticias!
Participe de nossos grupos:
+ VEJA TAMBEM