15 de Agosto de 2022
20º/30º
Entretenimento - Colunistas

MDB DE SIMONE TEBET

"Chega. É hora de renovação, de gente grande. Compromissados com o futuro, com respeito ao dinheiro público, com harmonia e diálogo permanentes com o Congresso Nacional", escreve o colunista Roberto Kawasaki

O MDB voltou às boas mãos já faz um bom tempo. Antes dominado pela ala de Renan Calheiros, Jader Barbalho, José Sarney e outros, agora está sob comando de Baleia Rossi e acaba de escolher a filha do ex-senador do MDB, Ramez Tebet, como candidata a presidente da República.

Senadora da República pelo Mato Grosso do Sul, advogada, professora, escritora, do centro e formação política social e liberal, foi secretária do governo do Mato Grosso do Sul, prefeita de Três Lagoas e deputada estadual.

Trata-se da melhor candidata que temos para comandar a política nacional. Das tradições do MDB do seu pai Ramez Tebet, Ulysses Guimarães, Franco Montoro, Tancredo Neves, Jarbas Vasconcelos, Pedro Simon, Teotônio Vilela, a candidatura de Simone Tebet traduz o verdadeiro MDB para oferecer à nação brasileira a possibilidade de evitar uma polarização ideológica que significa opor o presente (Bolsonaro) com o passado (Lula), ambos envolvidos com corrupção, com demagogia e populismo.

Simone Tebet significa uma renovação da vida política nacional, uma mulher forte, competente, preparada, com vida pública limpa, que se destaca no Congresso Nacional, onde brilhou na CPI da Covid. Apoiada pelo PSDB e Cidadania, é a oportunidade do Brasil reencontrar com sua história de glórias e de perspectivas sociais, econômicas, e fundamentalmente, políticas.

Sem vínculos com o Centrão, que comanda o País e tem deixado Bolsonaro refém do orçamento secreto, dos desmandos políticos, das vacinas não compradas com antecedência, da corrupção do MEC, dos pastores que reivindicam barras de ouro, dos tratores com sobrepreços, da corrupção da Codevasf, das rachadinhas e tantas outras manipulações do dinheiro público.

Simone também não tem ligações com desvios de grupos políticos ligados ao PT e Lula, que tomaram de assalto a Petrobras, do Mensalão, das ligações com Putin, com Hugo Chavez, com Maduro, com Daniel Ortega e outros ditadores de plantão.

Chega. É hora de renovação, de gente grande. Compromissados com o futuro, com respeito ao dinheiro público, com harmonia e diálogo permanentes com o Congresso Nacional , com o Judiciário, com agentes econômicos nacionais e internacionais, que permitam traduzir confiança, serenidade, segurança jurídica, com fidelidade partidária. MDB é o partido de Simone Tebet, como foi de seu pai, senador Ramez Tebet.

Os Tebet não ficaram mudando de partido político, estão vinculados à linha política do MDB e de seu programa partidário. O mesmo ideário de Tancredo Neves, Franco Montoro, de Ulysses Guimarães, de Pedro Simon, Paulo Brossard e tantos outros. Gente séria, graúda, competente, republicana e, sobretudo, voltada ao País.

Contudo, tem políticos do MDB, como Renan Calheiros e Eunício Oliveira que querem aderir a Lula e queriam adiar a convenção partidária. Felizmente, o MDB realizou sua convenção e oficializou Simone Tebet. Vamos à luta.
Roberto Kawasaki
*Roberto Kawasaki é economista pela FEAUSP, Professor dos cursos de Administração, Sistemas de Informação, Arquitetura e Urbanismo, Jornalismo, Publicidade e Propaganda e Engenharia de Produção da FACCAT e articulista da Folha do Povo e do TupaCity.com
Receba em primeira mao nossas noticias!
Participe de nossos grupos:
+ VEJA TAMBEM