08 de Março de 2021
20º/30º
Entretenimento - Colunistas

O BRASIL QUEBROU ?

Roberto Kawasaki é economista pela FEA-USP, Professor da FACCAT e articulista da Tupacity.

* Roberto Kawasaki

Afinal de contas, o Brasil quebrou ? Ainda não, mas nossos últimos Presidentes da República parecem se esforçar para conseguir o ?default?, isto é, a incapacidade de pagar seus compromissos financeiros internacionais e nacionais. Quebrar significa, na expressão utilizada pelo Presidente Bolsonaro, a impossibilidade de realizar obras e serviços públicos tendo em vista que o país sequer cumpre com suas obrigações ordinárias. Na verdade, como o Presidente Bolsonaro não consegue apresentar um rol significativo de realizações governamentais, transcorridos metade de seu mandato, então ele alega que não há dinheiro para investir e apresentar um balanço favorável de objetivos programáticos cumpridos.

Sem sombras de dúvidas que o ano que se findou, foi atípico e traumático, ainda que Bolsonaro tenha minimizado as terríveis consequências trazidas pela pandemia da Covid-19. Tivemos muitas perdas, desde humanas, sociais, educacionais, e também econômicas.

Assim, com o término do Auxílio Emergencial, que não deverá ter continuidade, pois recursos financeiros não há, e o repique das infecções e mortes causadas pelo Coronavírus, deve impactar negativamente o ano de 2021, tal qual 2020.

Estávamos na expectativa de voltar à normalidade com a vacinação em massa. Contudo, o Governo Federal não se preparou adequadamente para esse propósito. O Plano Nacional de Vacinação se mostra capenga e o que foi apresentado, é um mero esboço. Não há vacinas estocadas, não há seringas, não há logística para tal objetivo. Enfim,
enquanto os países já estão em plena campanha de vacinação, o Governo Federal está perdido.

Portanto, esperar um ano de 2021 de volta à normalidade, é uma peça de ficção. Salvo melhor juízo, o ano de 2021 será duro e dramático. Estaríamos em melhor situação, caso estivéssemos minimamente com reformas tributária e administrativa já aprovadas pelo Congresso Nacional. Isto não aconteceu. Assim , o Brasil está travado. Veremos com que força o Presidente Bolsonaro está perante o Poder Legislativo, pois em breve teremos eleições às Presidências do Senado e da Câmara dos Deputados. Vamos aguardar o desenrolar dessas disputas.

Sob o ponto de vista de estratégia política, o momento de realizar reformas para o Poder Executivo é na primeira metade do mandato conferido pelo povo. Esse momento já se foi.

Por outro lado, ficar administrando o Brasil pelas redes sociais e ficar no antagonismo ideológico, é pura perda de tempo. É preciso canalizar tempo para indispensáveis reformas que todos aguardam. Não adianta, os números e as estatísticas estão disponíveis na internet para todos, principalmente para investidores internacionais.

O Brasil ainda não quebrou, mas pode quebrar.
Roberto Kawasaki
*Roberto Kawasaki é economista pela FEAUSP, Professor dos cursos de Administração, Sistemas de Informação, Arquitetura e Urbanismo, Jornalismo, Publicidade e Propaganda e Engenharia de Produção da FACCAT e articulista da Folha do Povo e do TupaCity.com
Receba em primeira mao nossas noticias!
Participe de nossos grupos:
+ VEJA TAMBEM