22 de Setembro de 2020
20º/30º
ENTRETENIMENTO » COLUNISTAS

O que é um padrão?

Padrão, uma questão que talvez seja uma das mais discutidas, abordadas e assombradas nos dias de hoje. O que é um padrão? O que seria uma pessoa linda?

Nós, todos os músculos de nossos corpos, cada pedacinho de nosso ser, é pura arte, não só nós, mas como tudo o que abita no mundo e está a nossa volta, é arte. Somos todos seres livres e individuais.

Todos dizem muito sobre um certo padrão/beleza, e que aquilo seria o "certo” ou o lindo. Mas quando se trata de uma pessoa é algo totalmente subjetivo.

Dizer que um único padrão é o certo ou lindo, seria um tanto quanto injusto, até porque a beleza é algo muito relativo, o que eu posso achar bonito, você pode não achar e daí por diante. Então para que seria necessário, colocarmos um padrão para todos se o nosso gosto é totalmente individual e único!? Delimitar isso é como dizer, "isso é bonito e o resto não é, isso importa e o resto não!" E assassinar toda a arte que existe além disso.

O que seria uma injustiça totalmente desnecessária, se somos totalmente livres, para acharmos ou não acharmos, o que quisermos achar ou não achar. Bonito ou importante.
Viver, é ser livre!

Mas, infelizmente foram os padrões que foram impostos a nós de gerações em gerações, e que só cabe a nós desconstruirmos isso para sermos seres cada vez mais livres. Não livres para os outros e para mundo, mas livres para nós. Afinal, a paz e a liberdade é uma coisa que vem de dentro, não é uma questão de ser para que os outros vejam como você é, mas de se sentir.

E fica esse questionamento, o que seria uma pessoa linda? Se tudo o que você tem é uma arte bela e maravilhosa, esperando a todo tempo ser contemplada pelo ser mais belo e profundo de todos eles, o seu próprio dono, você!

Algo que eu acho um tanto quanto cômico, em relação a beleza e a esses padrões todos, é que se pararmos para analisar, talvez o que seria uma beleza hoje, não seria amanhã, o que seria uma beleza neste século, no século que vem, seria feio. Então se ficarmos preocupados querendo ser tudo o que os outros querem que a gente seja, no "fim", vamos acabar não sendo nada, vamos ficar apenas correndo de um lado para o outro tentando ser o que os outros desejam que nós sejamos e vamos acabar esquecendo de ser o mais de importante de tudo. Nós mesmos!

E talvez seja por isso que exista tantas pessoas querendo se provar, ser o que não são, buscando a aprovação dos outros, e esquecendo de que a maior prova que possa existir está dentro dela mesma. Mas também não podemos ser hipócritas em dizer que a opinião do outro não serve de nada e que deve ser o tempo todo ignorada, não é isso que estou dizendo. A pessoa que diz isso, me desculpe, mas ela não entende nada de humanidade e de um meio social.

Esses assuntos por mais que discorra muito bem sobre todos eles, nunca terá um fim, será uma eterna discussão, um eterno debate de opiniões, que nunca chegará a um consenso, sempre existirá algo a mais a ser dito. E por mais que possa existir livros e vídeos falando sobre isso, nunca vai ser tudo, sempre faltará algo, sempre alguém chegará com uma outra visão, um outro questionamento, uma outra opinião, que talvez de fato também esteja certa pra você e complemente tudo isso.

Como até mesmo a sua própria opinião ao ler isso amanhã ou depois, não seja totalmente a mesma da que esteja lendo nesse momento.

Nunca teremos os mesmos pensamentos, nunca seremos os mesmos, estamos em uma eterna construção e desconstrução. Estamos em constante mudança!



(Victor B. Neves – 01/07/2020)
@Victorbrenoo

Victor Breno Neves
*Victor B. Neves é estudante de psicologia na Faculdade da Alta Paulista (FAP), associado do Leo Clube de Tupã. Escritor, compositor, vocalista e baterista da Banda Vepp, também residida na cidade de Tupã. Victor busca de diversas formas pensar e repensar sobre os pré-conceitos que temos, sobre nós mesmos, nosso dia-a-dia e nossa vida. Sendo assim, tentando estar diariamente ressignificando o próprio sentido e o próprio sentimento.
+ VEJA TAMBÉM