06 de Dezembro de 2022
20º/30º
Entretenimento - Colunistas

Quem de vocês quer amar a vida e deseja ver dias felizes? Guarde a sua língua do mal e os seus lábios da falsidade

"As nossas palavras têm poder, elas podem gerar vida, como também podem gerar morte. É preciso pedir a Deus sabedoria, discernimento, entendimento da palavra, precisamos ter a consciência que uma palavra mal dita pode incendiar toda uma floresta"



Como será que estamos usando a nossa língua?
- Fofocas;
- Palavras torpes, palavrões;

As nossas palavras têm poder, elas podem gerar vida, como também podem gerar morte. É preciso pedir a Deus sabedoria, discernimento, entendimento da palavra, precisamos ter a consciência que uma palavra mal dita pode incendiar toda uma floresta. Uma ofensa, uma mágoa, um desentendimento, provavelmente se origina de palavras erradas, talvez ditas no calor de uma emoção. É necessário buscarmos os frutos do Espírito.

Eu posso abençoar ou amaldiçoar a minha vida e a vida de amigos, filhos, cônjuges, com as minhas palavras. Eu posso proferir uma condenação quando eu digo que não sou nada, que eu sou um fracasso, quando digo que a minha vida não presta ou quando eu digo que os meus filhos são incompetentes, que eles não vão conseguir nada na vida, quando eu humilho e diminuo o meu conjugue, levando ele a um sentimento de baixa estima emocional. Quando eu coloco apelidos depreciativos. Você é um burro, um gordo, um zero à esquerda, talvez involuntariamente eu estou determinando um futuro carregado de problemas emocionais à pessoa.

A bíblia trata desse assunto com seriedade, porque ela sabe que a língua pode provocar enormes prejuízos para os relacionamentos, sejam eles quais for. O domínio próprio compõe a lista dos frutos do Espírito descrito em Gálatas, eu vejo como um fruto apropriado para um auto controle sobre tudo o que falamos, ter domínio próprio é pensar antes de falar e agir, ser sábio e prudente em todo o tempo.
Em Mateus 12:36 e 37, Jesus adverte que os homens darão conta de toda palavra inútil falada, pois por elas seremos condenados ou absolvidos.

Se as nossas palavras podem nos condenar ou nos salvar, imagine você o poder que elas possuem? Será que estamos fazendo um bom uso delas?

Deus aprovaria o que eu tenho dito no meu dia a dia, nas minhas relações interpessoais, com os meus familiares, será que eu tenho usado um tom de voz agradável, tenho gritado, tenho sido ríspido com as pessoas que eu convivo? Eu tenho usado esse órgão pequeno que é a língua descrito em Tiago para criticar o meu próximo, apontar seus erros e julga-lo?

Vamos orar e pensar sobre isto?
Receba em primeira mao nossas noticias!
Participe de nossos grupos:
+ VEJA TAMBEM