01 de Fevereiro de 2023
20º/30º
Entretenimento - Colunistas

Sintomas de uma nova Guerra Fria

Há pouco, foi deflagrada na Suíça, no hotel onde a alta cúpula da FIFA estava reunida para nova eleição, que culminou na prisão de figurões das entidades e confederações ligadas ao órgão máximo do futebol, entre eles um brasileiro.

A questão desse artigo não é discutir a corrupção, tampouco as acusações e defesas. Até porque se acredita em um dos valores fundamentais da Constituição, a presunção da inocência (tecnicamente da culpabilidade), que deverá ser discutida por quem de direito.

O enfoque são os motivos que levaram os Estados Unidos, país sem tradição no futebol internacional, a realizar uma investigação internacional, realizando prisões na Suiça e também cumprindo mandados de busca no Brasil e outros países, em uma operação sincronizada.

E sabemos que não é fácil conseguir com que o STJ opere os procedimentos para que decisões da justiça internacional sejam homologadas e executadas. Mas o foram e motivos fortes estão por trás dos interesses americanos.

Após a operação, logo Vladimir Putin, atual presidente russo, criticou a posição americana. A Rússia será a próxima sede da Copa do Mundo, e os EUA pediram que o evento fosse suspenso para, "varrer a corrupção do futebol".

Sabemos que há divergências históricas entre Rússia e os EUA. Recentemente, a intriga ocorreu por conta da disputa entre a Rússia e a Ucrânia da região autodenominada Crimeia.

A Rússia estava defendendo a autonomia da Crimeia e comprou uma briga com a Ucrania.
Os EUA entraram no conflito com fortes declarações e acusações contra o governo do Kremelin (sede do governo russo).

Nesse contexto, é que soa estranha essa operação americana; dias antes das eleições; na Suiça; com a próxima Copa na Rússia. Seria mais um sinal de uma guerra oculta, política, jurídica, entre dois países como ocorrera há poucas décadas?

Os Estados Unidos possuem sua economia desalecerada. E o futebol tem recebido investimento billionário nos últimos anos.

É inegável que há corrupção no futebol. Assim como deve haver em outros esportes. Também é compreensível que muito dinheiro sujo, ilegal, não declarado, de empresas de outros países, são lavados em bancos americanos, em diversas atividades, o que justifica, por suas leis, prender estrangeiros e executar as leis ianques.

São questões para se refletir. Pontos para se discutir. Diante de tantos focos a se manter, o que definia X, Y ou Z alvo e atenção internacional?


De qualquer forma, são ações de uma superpotência defendendo valores que acredita ser universais, e um país controverso, como a Rússia, mas que sempre lutou para defender seus princípios, presidida por um ex-agente no temido serviço secreto Russo, a KGB.

De qualquer forma, ficam algumas lacunas que a história, às vezes, demora a preencher.


*Eder Pires da Fonseca é CEO e fundador da empresa Penze (Tecnologia da Informação com Foco em Gestão de Negócios). consultor em tecnologia focada para negócios com o marketing digital. Cursou filosofia na UEL, e bacharel em Direito pelo UNIVEM (Marília/SP). [email protected]
Eder Fonseca
Eder Pires da Fonseca tem 31 anos, original de Cândido Mota, trabalha com tecnologia há 16 anos e digital há pelo menos 10 anos, é fundador e CEO da Penze, uma empresa da Era Digital (www.penze.com.br)
Receba em primeira mao nossas noticias!
Participe de nossos grupos:
+ VEJA TAMBEM