13 de Agosto de 2022
20º/30º
Entretenimento - Colunistas

UM GOVERNO INCOMPREENDIDO

"É injusto nós, brasileiros, colocarmos na conta do presidente o resultado de uma catástrofe mundial. Se o Brasil atravessa dias difíceis, a Europa também atravessa, os EUA também. O mundo gira, talvez sem controle." — Por Silas Gomes Duarte

Como um bom cidadão patriota, apaixonado pela sua terra, a sua nação, Bolsonaro é um idealizador nato, sempre colocando em pauta questões relevantes para o bem do povo brasileiro.

Durante a recente trajetória desse país, desde que foram instituídas as diretas já, em 25 de abril de 1984, colocando na cadeira presidencial, um representante eleito pelo povo, esse país como uma aeronave desgovernada vem sobrevoando sem proa, sem norte.

Entre governos e desgovernos, o Brasil já atravessou por diversos desastres políticos, econômicos, sociais, culturais e educacionais. Um país que já protagonizou em seu cenário político dois "impeachments" de presidenciáveis, já adotou diversos pacotes econômicos, diga-se de passagem, sem muito êxito, falidos, um país que foi testemunha de um ex presidente, se tornar um ex-presidiário, isto, fruto de ações corruptas que culminaram em uma das maiores operações comandadas pela Polícia Federal, colocando atrás das grades figurões políticos, dentre eles o ex presidente Lula.

Toda essa tragédia política, essa caixa de pandora, deságua no governo Bolsonaro, como se não estivesse bom, vem a pandemia para fechar com chave de ferro, essa receita tóxica e destrutiva.

Eu sempre digo que o escudo do presidente deve ser muito bem feito, porque ele tem que se defender de um sistema corrupto e perverso, uma mídia profissional e letal, uma classe artística totalmente alinhada com uma agenda progressista de esquerda e uma inexpressível massa de cidadãos brasileiros enraivecidos, histéricos e destemperados, defendendo uma ideologia nefasta, onde na totalidade de seu pacote, encontramos um amontoado de lixo que certamente vai gerir toda uma geração de "zumbis".

O mundo entra em um tempo muito difícil, hoje é compartilhada uma crise comum entre as nações, alta da inflação, preços exorbitantes, falta de emprego, fome, conseguimos visualizar agora com mais clareza esse rastro de destruição provocado pela pandemia do coronavírus, além das tristes estatísticas em relação a perda de vidas, esse mal está cravando agora a sua marca na vida econômica e social da humanidade, vida essa que agoniza também!

É injusto nós, brasileiros, colocarmos na conta do presidente o resultado de uma catástrofe mundial. Se o Brasil atravessa dias difíceis, a Europa também atravessa, os Estados Unidos também. O mundo gira, talvez sem controle.

Enfim, Bolsonaro é gente da gente, um homem sem meias palavras, não é adepto do politicamente correto, um defensor de princípios cristãos, um defensor da família natural, conservador liberal, talvez o Brasil realmente não seja o país para ele governar, aqui é a terra do faz de conta, onde se adotou o regime presidencialista, mas quem dirige mesmo essa máquina é a suprema corte, é o parlamento, é uma mistura de monarquia com parlamentarismo, é o famoso balaio de gato.

Manda quem pode e obedece quem tem juízo. Se o chefe do executivo não estiver alinhado com o sistema, ele fica ilhado juntamente com seus aliados.

Há uma célebre frase, que não me recordo agora, o autor, que diz: O Brasil é uma Ferrari, pilotada por macacos.

Silas Gomes Duarte - cristão, pai, marido, conservador, administrador de empresas, coordenador de uma organização da sociedade civil.


Receba em primeira mao nossas noticias!
Participe de nossos grupos:
+ VEJA TAMBEM

Aposentadoria dos profissionais da enfermagem: o que mudou com a Reforma da Previdência

"Um grande tormento aos enfermeiros, auxiliares e técnicos de enfermagem diz respeito à resistência do INSS, de todas as formas, em reconhecer o tempo trabalhado como desenvolvido em atividade nociva", escreve o colunista

ALGUNS ASPECTOS SOBRE A APOSENTADORIA RURAL

A aposentadoria por idade rural é um benefício devido ao segurado especial (agricultor familiar, pescador artesanal, garimpeiro e indígena) que demonstrar o mínimo de 180 meses de trabalho efetivo no campo

Aposentadoria do médico: saiba o que mudou com a Reforma da Previdência

Evandro Sávio Ruiz é advogado e consultor jurídico e uma das suas áreas de atuação é o direito Previdenciário.

Revisão da "vida toda "-você sabia que essa revisão pode aumentar o seu benefício?

Por Evandro Esteves Ruiz: "Para responder a essa pergunta é preciso fazer uma evolução história dos cálculos previdenciários"

Tive alta do INSS, mas a empresa não me deixa voltar ao trabalho e nem paga o meu salário. O que eu faço?

"Um grande tormento ao segurado do INSS diz respeito ao "corte" do benefício por incapacidade (auxílio por incapacidade temporária - antigo auxílio doença - e aposentadoria por incapacidade permanente - antiga aposentadoria por invalidez)"

Regra de transição após a reforma da previdência: pedágio de 100% do tempo faltante

A regra de transição baseada no pedágio de 100% do tempo faltante está prevista no art. 20 da EC 103/19, tendo por destinatários os segurados filiados ao RGPS até a entrada em vigor da EC 103, em 12/11/2019, assegurando o direito à aposentadoria

- Veja a lista completa