22 de Setembro de 2020
20º/30º
ENTRETENIMENTO » COLUNISTAS

Valorize seu processo.

"Somos humanos e não maquinas, e talvez as vezes nos esquecemos disso um pouco, talvez as vezes só devemos nos permitir ser e nos sentirmos humanos!", destaca em seu artigo o escritor.

Victor B. Neves*

Por que o sentimento de vazio insiste em querer nos dominar, mesmo quando estamos buscando, sonhando e alcançamos algo, quando estamos apenas querendo se sentir em paz?

É louco pensar na forma em como nossos pensamentos tentam nos auto-sabotar a todo tempo, em como as construções dentro de nós são tão fantásticas e loucas. Em um momento tudo esta tão bem, no outro como uma única janelinha aberta, que te faça lembrar um momento que te fez infeliz, te faz tão mal. A necessidade de um auto controle é imensa, mas um auto controle continuo e constante é impossível...

É, somos seres humanos, mas como poderíamos dizer que temos mesmo um livre arbítrio quando não somos capazes de sermos livres dentro de nos mesmos?! Nos auto prendemos, recalcamos o tempo todo, seja por coisas grandes e sonhos para a vida toda, ou até mesmo coisas que podem ser consideradas pequenas. Se é que podemos considerar algo pequeno.

Não importa o tamanho aos olhos de quem vê, desde que comporte a si mesmo e sinta-se em paz com isso..
Gosto de falar da paz, mas por que a paz? Porque para mim, se tivermos dentro de nós esse sentimento de paz, não precisamos de mais nada... Se pudermos nos sentirmos em paz, com nós mesmos, estaremos livres para qualquer outro tipo de sentimento, você estando em paz, todo o restante poderá fluir naturalmente, se sentir, calmo, liberto, livre, feliz, entre outros sentimentos.

Gosto de acreditar que tudo isso se encaixa em estar em paz. Se pudesse escolher alguma dessas coisas que citei, por que não escolher uma única só, e com ela trabalhar consigo mesmo para conquistar aos poucos com calma todo o restante? Na verdade, já estaria conquistando duas ao mesmo tempo e nem percebeu, leia o parágrafo novamente...

Buscar coisas e sentimentos que nos faça sentirmos vivos, talvez seja a chave para uma liberdade plena, não importa o que seja, se seja algo "simples” aos olhos dos outros, que seja algo "bobo”, não importa, o que realmente importa é que neste momento isso seja grande para você e te faça se sentir bem.

As coisas nunca irão ter o mesmo tamanho para pessoas diferentes, cada um tem a sua vivência, a sua perspectiva de vida e verá algo da sua forma, em cima do que vive e viveu. Então não espere que os outros te entendam o tempo todo, consigam sentir e ver as coisas do mesmo modo que você. O seu sentimento é único, o seu modo de sentir e ver as coisas, é único, buscar o que te faça se sentir vivo, liberto e feliz de fato, mesmo que por um certo período de tempo, também é único.

Não importa o que isso ira se tornar, amanha ou depois e muito menos quanto tempo ira durar, mas sim, o que talvez realmente importe é o processo para o que você irá se tornar um dia, para o que você virá a fazer, seja o mais importante. E se questionar sobre isso ser realmente o certo ou errado é totalmente normal. Viver uma vida sem questionar e sem se questionar, não é viver.

Somos humanos e não maquinas, e talvez as vezes nos esquecemos disso um pouco, talvez as vezes só devemos nos permitir ser e nos sentirmos humanos!

O tal do processo, é o hoje e o agora, se preocupar com o amanhã ou depois é tolice, quando o seu tempo e seu momento de viver coisas incríveis e diferentes que lhe proporciona evoluir, está aqui, neste momento, na sua frente!


@Victorbrenoo

Victor Breno Neves
*Victor B. Neves é estudante de psicologia na Faculdade da Alta Paulista (FAP), associado do Leo Clube de Tupã. Escritor, compositor, vocalista e baterista da Banda Vepp, também residida na cidade de Tupã. Victor busca de diversas formas pensar e repensar sobre os pré-conceitos que temos, sobre nós mesmos, nosso dia-a-dia e nossa vida. Sendo assim, tentando estar diariamente ressignificando o próprio sentido e o próprio sentimento.
+ VEJA TAMBÉM