14 de Agosto de 2020
20º/30º
ENTRETENIMENTO » COMPORTAMENTO

Preços da Black Friday de madrugada são mais baixos? Veja mitos e verdades

"Black Fraude", outra noção popular sobre o dia de compras, ainda levanta suspeitas sobre veracidade dos descontos

A Black Friday 2019 acontece na próxima sexta-feira (29), e contará com promoções tanto de lojas online quanto físicas. À medida que a data se torna popular no Brasil, os consumidores passam a consolidar certos hábitos. Comprar durante a madrugada é um desses costumes: segundo levantamento feito pelo Cuponomia, 22% dos brasileiros pretendem ficar acordados para não perder as superofertas da data.

Mas será que esta prática funciona ou é apenas mito? Abaixo, o TechTudo desvenda essa e outras cinco crenças em torno do dia de promoções. Veja quais são mitos e quais são verdades e prepare-se melhor para as compras.


Veja mitos e verdades sobre a Black Friday 2019 e economize dinheiro nas compras — Foto: Lívia Dâmaso/TechTudo


1. Os preços da Black Friday de madrugada são mais baixos
Mito. Não há nenhum dado que comprove que as lojas abaixam mais os preços durante a madrugada. O que acontece é que os produtos com maior desconto geralmente têm estoque limitado, o que faz com que eles acabem mais rápido. Por isso, as pessoas procuram logo nas primeiras horas de promoção.

O CEO do Cuponomia, Antonio Miranda, explica como funciona: "Na madrugada de sexta-feira é quando as lojas liberam a maioria dos descontos e quando ainda há uma grande quantidade de produtos em estoque. Normalmente, o estoque dos itens que têm muita procura e estão com bom custo-benefício tende a se esgotar rapidamente, por isso muitos consumidores ficam atentos durante a madrugada."

O fenômeno é contestado também pelo CEO do Peixe Urbano, Ilson Bressan. "Normalmente, as pessoas que buscam ofertas de madrugada estão à procura de serviços ou produtos muito concorridos, que podem acabar rápido. Outro fator que leva os consumidores a comprarem nesse horário são as ofertas relâmpago, que muitos e-commerce fazem para atrai-los."

Dessa forma, vale destacar que, embora seja mito que o preço de um determinado item fique mais baixo depois da meia-noite, pode ser bom ficar online nesse período caso você esteja de olho em um produto disputado, como eletrônicos.

2. O desconto é real
Verdade, mas é preciso pesquisar. A famigerada "Black Fraude" — produtos pela "metade do dobro", com preços inflados dias antes para parecerem mais baratos na data do evento — ainda é praticada por várias lojas. Felizmente essa tendência está mudando, em grande parte graças ao comportamento do consumidor, que passou a monitorar os valores praticados pelo varejo para não cair em descontos enganosos na Black Friday.

Há uma série de dicas para economizar dinheiro nas compras. A principal delas, como já destacado, é monitorar os preços e criar alertas de promoções, ferramenta presente em praticamente todos os comparadores, como o Compare TechTudo.

Sites de cupons de desconto podem ajudar a salvar uma grana extra. Os Cupons de Desconto TechTudo são uma opção, assim como plataformas como o Cuponomia, Cuponation, Peixe Urbano e Pelando. "O Peixe Urbano, por exemplo, após tantos anos de Black Friday, possui um planejamento antecipado para não esgotar os cupons e conseguir levar as melhores experiências para os nossos clientes", garante Ilson Bressan.

3. É melhor fazer compras online
Meio verdade. Lojas físicas também participam da Black Friday, frequentemente oferecendo ótimos descontos. O problema é que, longe dos comparadores e seus históricos de preço, é difícil discernir as ofertas reais das enganosas. Outra vantagem de comprar online é que há mais opções de lojas, já que muitas entregam em todo o Brasil com frete grátis (ou cobrando taxas baixas). As grandes varejistas também costumam oferecer promoções exclusivas em seus aplicativos, o que torna o ambiente web ideal para aproveitar a data.

4. É a maior data do comércio
Mito. A Black Friday se tornou uma data extremamente importante para o comércio brasileiro, movimentando R$ 2,6 bilhões apenas no e-commerce em 2018. No entanto, o evento ainda fica atrás do Natal, que alcançou R$ 9,8 bilhões em vendas online no ano passado, de acordo com a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm).

5. Todos os produtos de uma loja participante estão com desconto
Mito. Uma loja que participe da Black Friday não é obrigada a oferecer desconto em todos os seus produtos. De fato, nenhuma delas faz isso. Os itens com preço promocional são apenas os anunciados como tal; os demais seguem com valores normais. Aliás, essa é a principal tática dos vendedores para lucrar na data: dar desconto em uma pequena parcela do estoque para atrair consumidores e então fazê-los gastar em itens com preço cheio.

6. Lojas físicas são cenário de briga entre consumidores
Mito. Ainda que já tenham ocorrido brigas entre clientes por causa das promoções da Black Friday, o incidente é bem menos frequente do que o propagandeado nos vídeos que rodam a Internet. Grande parte mostra conflitos pessoais, muita das vezes ocorridos em outras datas que não a famosa sexta-feira — e, ainda assim, a maioria é nos Estados Unidos. Quem prefere fazer compra presencialmente pode ir tranquilo, já que as chances de um cenário de violência tem se mostrado improvável por aqui.

Por Raquel Freire, para o TechTudo
+ VEJA TAMBÉM