16 de Setembro de 2021
20º/30º
Notícias - Destaque

Conheça os melhores jogos para jogar sozinho



É verdade que nos últimos anos os jogos multiplayer online conquistaram um espaço cada vez maior, com diversos lançamentos de grande sucesso, mas os títulos para apenas um jogador não ficaram para trás e aqui será possível conhecer os melhores games para se divertir sozinho.

Muitas opções para quem gosta de RPG

The Witcher está cada vez mais conhecido pela série da Netflix, que ganhará uma segunda temporada em breve, mas bem antes do lançamento do show o produto já estava muito bem estabelecido.
As primeiras duas edições da franquia são recomendadas apenas para jogadores veteranos de RPGs, mas a terceira, chamada de "The Witcher 3: Wild Hunt" é muito acessível e já é considerada um dos maiores clássicos da história dos games.

Diferentemente dos RPGs tradicionais, que são inspirados em Tolkien e seu "O Senhor dos Anéis", o game conta com inspirações folclóricas do leste europeu que são ao mesmo tempo familiares e pouco conhecidas, o que dá uma boa lufada de ar fresco aos usuários.
Durante o decorrer da história principal, que pode durar de 25 a 50 horas, sem contar as expansões no formato de downloadable content (DLC), o jogador assume o papel de Geralt, o famoso "bruxo" que caça monstros em troca de dinheiro, em uma jornada para encontrar sua filha adotiva Ciri.

O título tem a dose certa de ação e emoção com uma das melhores narrativas já criadas e permite que o entusiasta se divirta por dezenas ou até mesmo centenas de horas sozinho, completando tudo o que ele tem a oferecer.

Outras opções interessantes no quesito RPG são Skyrim, Divinity: Original Sin II, The Outer Worlds e a franquia Mass Effect, que inclusive acaba de ganhar uma edição "lendária" remasterizada, disponível para PC e para os principais consoles.

Títulos de puzzle e estratégia também são muito populares

Os jogos de puzzle são uma ótima opção para os usuários que preferem se divertir sozinhos e um dos clássicos é "Portal". Um game de quebra-cabeça em primeira pessoa conhecido por cenários com soluções tão inteligentes quanto inesperadas e um senso de humor seco que remete a clássicos britânicos como "Monty Python".

O jogador assume o papel de um personagem que deve escapar de uma instalação de "testes" isolada que é supervisionada por uma inteligência artificial (IA) mal-intencionada que está determinada a submetê-lo a desafios cada vez mais letais.
A grande diferença aqui em relação a outros jogos está no equipamento que o entusiasta carrega, que é um instrumento que permite que ele abra portais pelos quais pode viajar.

O uso desses elementos e a manipulação inteligente de objetos são as únicas interações possíveis em "Portal" e o jogador precisa se esforçar para lidar com diversos tipos inusitados de puzzles para chegar até a saída e se libertar, tudo isso enquanto a IA faz piadas sobre o progresso e as situações encontradas.

Outro jogo muito interessante para jogar sozinho e que deve exercitar muito a mente é o blackjack. Conhecido por ser uma modalidade repleta de estratégias, o título é uma das opções mais populares para quem gosta de desafios.

Isso se deve ao fato de que existem diversas estratégias matemáticas bem estabelecidas, como a desenvolvida pelo famoso gestor de fundo de investimentos Edward Thorp, que permitem que o jogador amplie sua chance de vencer de maneira significativa.



Roguelikes e roguelites desafiam os jogadores solo

Outro gênero que se destacou entre os jogadores, que muitas vezes comparam os preços e optam pelas versões digitais que costumam ser bem mais baratas, foram os roguelikes e roguelites.
Nesses games o entusiasta precisar vencer uma série longa de desafios, mas toda vez que perde em algum nível ele tem que recomeçar com novas habilidades e possibilidades.

Um dos títulos que mais faz sucesso nesse sentido é "Hades". Com inspiração na mitologia greco-romana, o título acompanha a jornada do herói Zagreus, filho de Hades, que pretende escapar para se juntar ao resto do panteão.
A cada tentativa o personagem fica um pouco mais forte e, as diversas armas disponíveis, que vão de uma clássica espada até um escudo que atua de forma similar ao do Capitão América da Marvel, fazem com que a experiência de vencer os níveis seja diferente todas as vezes.

Além disso, o jogador também conta com a ajuda de deuses famosos como Atena, Afrodite, Baco e Poseidon, o que aumenta muito a versatilidade, já que não é possível receber os presentes de todos em uma única jornada.

Além de "Hades", outros títulos do gênero que chamaram atenção dos gamers que preferem jogar sozinhos foram "Dead Cells", "Hollow Knight", "The Swindle", "Darkest Dungeon" e "Spelunky", todos com mecânicas diferenciadas que garantem dezenas de horas de diversão.
Especial Publicitário
Receba em primeira mao nossas noticias!
Participe de nossos grupos:
+ VEJA TAMBEM