28 de Novembro de 2022
20º/30º
Notícias - Educação

Recuperar o aprendizado é um desafio urgente, indica Unicef

Pesquisa aponta que escolas sofrem com falta de ônibus e de alimentação para garantir atividades no contraturno escolar

Falta de transporte escolar é uma das dificuldades para atividades no contraturno escolar DIVULGAÇÃO/GOVERNO FEDERAL
Falta de transporte escolar é uma das dificuldades para atividades no contraturno escolar DIVULGAÇÃO/GOVERNO FEDERAL


A pandemia impôs dois anos de isolamento e aulas remotas, o resultado imediata foi a defasagem no aprendizado. Agora, como aponta a oitava onda da pesquisa realizada pela Undime (União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação) com apoio do Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância) e Itaú Social, com o retorno às atividades presenciais, a recuperação é urgente.

Para a pesquisa foram ouvidas 3.245 Secretarias de Educação municipais, que consideraram as lacunas de aprendizagem e a recuperação como os principais desafios agora. Para o desenvolvimento das atividades no contraturno, as redes de ensino enfrentam problemas de logística e falta de infraestrutura para atuar de forma mais efetiva para a recuperação da aprendizagem. Entre os pontos apontados pelos dirigentes estão a falta de transporte — a principal causa apontada para a não realização das atividades fora do horário de aula — além de falta de alimentação para os estudantes e de conectividade nas escolas.

Para recuperar a aprendizagem, as redes municipais investem em suporte técnico aos diretores e a Busca Ativa Escolar. Além disso, 79% das redes dizem estar implementando atividades para estudantes que apresentam maiores dificuldades de aprendizagem; e 76% afirmam fazer acompanhamento individual de professores.

Segundo o levantamento, para atuar na recuperação da aprendizagem, as secretarias também adotaram como estratégias: 91% das redes realiza reuniões com coordenadores e diretores, seguido de visitas às escolas (90%), reuniões com professores (72%) e monitoramento dos resultados de avaliações internas (71%).

O estudo também mostra que a frequência às aulas presenciais tem sido total, menos entre os alunos da EJA (Educação de jovens e adultos), em que quase 15% das redes afirmam ter apenas metade, ou menos da metade dos alunos frequentando as aulas presenciais.

Nas escolas, as atividades de recuperação ocorrem no mesmo turno ou no contraturno escolar. Apenas 4% das redes optaram pela modalidade remota para recuperar a aprendizagem.

Covid
As escolas seguem com a prevenção à Covid-19 — 8 em cada 10 mantêm os protocolos sanitários, isolando aqueles que apresentam sintomas, mas seguindo com as atividades presenciais. Por fim, 60% das redes afirmam que todos ou quase todos os responsáveis estão aceitando vacinar os alunos.
R7
Receba em primeira mao nossas noticias!
Participe de nossos grupos:
+ VEJA TAMBEM