28 de Novembro de 2022
20º/30º
Notícias - Esporte

Chance em time do Paulistão faz jovem de Pacaembu emocionar o pai e renovar sonho no futebol

Funcionário público Rildo Ribeiro detalha desafios encarados pelo filho, o zagueiro Vitinho, até chegar à base do Água Santa; mesmo longe de casa, oportunidade tranquiliza a família

Nem os cerca de 650km longe de casa, nem uma realidade tão diferente, de sair de uma cidade com aproximadamente 14 mil habitantes para uma região metropolitana, fazem o lado bom da história perder seu significado para o zagueiro Vitinho, de Pacaembu. Aos 15 anos, a promessa do Oeste Paulista dá sobrevida ao sonho nos gramados, graças à chance conquistada no Água Santa (time do Paulistão), que faz agora o sentimento em casa refletir tranquilidade e emoção.

Zagueiro Vitinho, de Pacaembu, tem disputado jogos pelo Água Santa neste segundo semestre — Foto: @abndourado
Zagueiro Vitinho, de Pacaembu, tem disputado jogos pelo Água Santa neste segundo semestre — Foto: @abndourado


Tanto a parte sentimental da história quanto a relacionada aos números são descritas pelo pai: Rildo Ribeiro, ex-zagueiro e funcionário público em Pacaembu. Ver o filho atuando na posição em que jogou no extinto Dracena, nas décadas 1980 e 1990, enche Rildo de orgulho.

- Ele lutou bastante por aqui, desde menino. Infelizmente, diante de incertezas e oportunidades que não se concretizaram, o jeito foi tentar longe. Mas é um menino com a cabeça boa. E a estrutura oferecida por lá tranquiliza também. Ele faz 16 anos em fevereiro, e existe a chance de ele ficar, acredito que exista o interesse dele e também o interesse do Água Santa para ele seguir.

Sobre as condições afirmadas, Rildo conta que, além de conhecer a estrutura de perto, colheu informações junto a amigos do meio esportivo, os quais deram referências muito positivas. Em Diadema, o jovem pacaembuense estuda no período da manhã e treina à tarde. Rotina acompanhada por profissionais do clube em diversas áreas, conforme disse o pai, que também garante estar impressionado com a evolução física.

- Fiquei uns dois, três meses, sem vê-lo, e é verdade. Ele evoluiu muito fisicamente, e graças também ao trabalho que vem sendo feito por lá. Ele está com 1,80m e calça 43. Puxou seus tios lá de São Paulo, e não o pai, pois sou o único que não seguiu esse embalo na família - brinca Rildo.

Rildo mostra imagens da visita que fez para o filho, na Arena Inamar, casa do Água Santa — Foto: Cedida
Rildo mostra imagens da visita que fez para o filho, na Arena Inamar, casa do Água Santa — Foto: Cedida


A chegada ao Água Santa ocorreu há cerca de quatro meses. Antes disso, Vitinho aceitou ir para uma escolinha de Marília, uma vez que acenava a ele a possibilidade de defender o Marília no Paulista Sub-15. Porém, sobretudo por um acidente sofrido, a chance não avançou.

Presidente Prudente esteve no trajeto do garoto no capítulo anterior à investida no MAC. Rildo explica que o zagueiro treinou com o Grêmio Prudente, mas, ao analisar tudo que se apresentou como oportunidade, a escolha foi por ir para Marília.

A casa do primeiro semestre ficava a cerca de 170km de Pacaembu. A distância proporcionava idas frequentes do pai, contudo, por ter que arcar com gastos como o aluguel, Rildo se emociona novamente ao falar dos desafios financeiros atravessados.

- Sou funcionário público. É difícil para a gente arcar com gastos como aluguel, que são gastos pesados. Até por isso, uma oportunidade como a recebida agora traz ainda mais tranquilidade para todos.

Vitinho também soma passagem pelo Osvaldo Cruz. Em 2018, defendeu a camisa do Azulão no Paulista Sub-11. A meta a seguir é voltar a disputar uma competição da Federação Paulista de Futebol (FPF). Rildo projeta que jogar uma Copa São Paulo é algo mais distante para o filho no começo de 2023, e o Paulista Sub-17, então, vira o alvo.

Pelo Água Santa, Vitinho participa, neste segundo semestre, de uma competição da base chamada Paulista Cup. A disputa reúne, principalmente, equipes da região metropolitana de São Paulo. O zagueiro já atuou em uma competição parecida, em Hortolândia (SP), e disputou amistoso contra o São Paulo, também conforme detalhou o pai.

- Vejo que ele pode ser ainda mais, mas já é um grande espelho para a garotada de Pacaembu. Ele tem mostrado que não é fácil, mas tem buscado e se dedicado para alcançar - finalizou.

O Água Santa

Fundado em 27 de outubro de 1981 por imigrantes nortistas, o ex-time amador de Diadema estreou profissionalmente em 2014. Os acessos consecutivos o levaram a participar do Paulista de 2016. Neste ano, encarou o Palmeiras no Prudentão e venceu por 4 a 1.

A arena do Netuno, no bairro Inamar, passou por um processo de modernização em meio a essa ascensão em campo. De acordo com o último laudo de segurança disponível, hoje tem capacidade para quase 10 mil pessoas.

Em 2022, o Água Santa foi semifinalista do Troféu do Interior, no Paulistão, e chegou às quartas de final da Copa Paulista. Nessa competição, a Arena Inamar serviu de casa para o vizinho São Caetano, que chegou à semifinal.
*G1 Esportes
Receba em primeira mao nossas noticias!
Participe de nossos grupos:
+ VEJA TAMBEM