28 de Setembro de 2020
20º/30º
NOTÍCIAS » LOCAL

Finisa: Iniciado o maior projeto de recapeamento asfáltico

Serão de cerca de R$ 13 milhões, sendo R$ 10 milhões do Finisa e cerca de R$ 3 milhões de recursos investidos pela prefeitura.

Os trabalhos de recapeamento asfáltico realizados com recursos do Finisa (Financiamento à Infraestrutura e ao Saneamento) foram iniciados na manhã de ontem a partir da esquina das ruas Caingangs e Guaianazes, descendo no sentido da Tamoios.

O secretário Municipal de Planejamento, Valentim César Bigeschi, disse que o projeto de recapeamento está sendo executado desde o mês de fevereiro, visando atingir ruas de todas as regiões da cidade. "A prioridade foram vias de movimento, rotas de circular e setores com prédios onde estão localizadas escolas e unidades de saúde”, afirmou.

Após realizar esse levantamento, o secretário disse que os recursos investidos serão de cerca de R$ 13 milhões, sendo R$ 10 milhões do Finisa e cerca de R$ 3 milhões de recursos investidos via prefeitura. "Essas obras irão demandar outros serviços, nos próximos três meses”, observou.

O secretário explicou que os trabalhos contam com três modalidades de asfalto, sendo o recapeamento de CBUQ com 3 centímetros aplicado nas vias de maior movimento; CBUQ de 2 centímetros em outras vias deterioradas; e a lama asfáltica de 1,2 centímetro.

Bigeschi disse que nessa última modalidade serão investidos cerca de R$ 1 milhão em ruas que realmente estiverem muito desgastadas. "Essa lama asfáltica dará um rejuvenescimento melhor do que o CBUQ”, salientou.
A previsão, segundo Bigeschi, é de que os serviços sejam concluídos nos próximos 90 dias.

Base

O secretário explicou que os serviços nas ruas foram iniciados há cerca de 60 dias, com trabalho de base, tapa-buracos e regularização das vias, para que no dia de início do recapeamento, ontem, houvesse a menor interferência possível. "Em todas essas ruas, a prefeitura já fez a sua contrapartida, com a regularização dessas bases, alinhamento de guias e sarjetas, tudo dentro desse programa do Finisa”, afirmou.

Bigeschi explicou que os serviços complementares, como remoção de redutores de velocidade e pintura, serão realizados com recursos e mão de obra da própria prefeitura. "A Prefeitura de Tupã ficará com as equipes de pintura e asfalto fazendo as regularizações dos ‘baciões’, a pintura de sinalização...”, disse.

Faixa elevada

De acordo com o secretário, a faixa elevada construída em frente ao prédio das Faculdades Faccat será retirada, por problemas técnicos de drenagem. "Nos dias de chuva, a instituição está sendo alagada. A faixa elevada está quase 18 centímetros mais alta do que o nível da escola e isso colabora com a inundação, aumentando o volume de água" , disse.
Bigeschi explicou que a resolução do Detran.SP não permite a construção de uma faixa elevada na saída da faculdade, ao centro da rua, da forma em que foi construída.

"Ela está atendendo essa resolução, mas a questão mais grave são os alagamentos. Tivemos uma chuva forte que a água passou 7 centímetros do nível da porta da faculdade”, salientou.

Vale lembrar que a Prefeitura de Tupã possui R$ 8 milhões restantes do empréstimo realizado de R$ 18 milhões. De acordo com a prefeitura, esse valor restante está sendo investido na renovação da frota municipal, com a compra de novos veículos e maquinários.
Jornal DIário
+ VEJA TAMBÉM