10 de Agosto de 2020
20º/30º
NOTÍCIAS » LOCAL

Produtora tupãense fecha parceria com grande nome do funk

A produtora Papidim - Conexão das Quebradas surgiu com o intuito de dar visibilidade para o funk, rap e trap no interior de São Paulo.

A produtora tupãense Papidim - Conexão das Quebradas fechou parceria com uma das maiores produtoras musicais do Brasil, a Love Funk, que é um braço da KondZilla, que encabeça o projeto LoveZilla.

A produtora musical Jéssica Morales explicou que essa parceria dará mais visibilidade aos artistas do interior, onde os sonhos dos jovens MCs são desacreditados por não estarem no centro do que se acredita estar o funk.

Essa parceria, muito importante e extremamente benéfica, viabiliza um trabalho ampliado da Papidim, onde se reconhece o interior. "É também um meio de se chegar a artistas de funk e ampliar o sentido de cultura, já que o funk não é um produto único, tendo ele várias vertentes e subvertentes, indo de letras sensuais, suaves a conscientes que passam fortes mensagens em letras que também expressam protestos sobre os formatos em que vivemos. Logo, o funk é isso, explosão, porrada, realidade que mexe com o corpo, com a mente, com a realidade social”, diz Jéssica. "Assim, no interior a Papidim também é um movimento, que quer mexer com os padrões e dar oportunidade para que todo o interior seja ouvido, uma produção da periferia para o mundo”, acrescentou.

A produtora tupãense Papidim - Conexão das Quebradas fechou parceria com a Love Funk
A produtora tupãense Papidim - Conexão das Quebradas fechou parceria com a Love Funk


Papidim

A produtora Papidim - Conexão das Quebradas surgiu com o intuito de dar visibilidade para o funk, rap e trap no interior de São Paulo.

Com sede localizada em Tupã, a produtora explicou que seu intuito é abranger toda a região para dar oportunidade aos sonhos de jovens e crianças, criando assim uma conexão como o próprio nome sugere. "O funk ainda tem sua cultura marginalizada, atribuída com a desordem por ter surgido nas periferias. Por isso, a ainda jovem produtora vem rompendo com essa imagem desestruturada e preconcebida dessa profissão e movimento cultural. A ideia é dar voz para cada um que queira ser ouvido, para cada quebrada, e para todas as histórias”, afirmou Jéssica.

"Através dos ideais mencionados e por meio de muito trabalho, os frutos começaram a aparecer. A pequena, mas gigante ideia foi criando asas e voando pelo interior. Várias cidades já fazem parte do time Papidim, como Quatá, Rancharia, Presidente Epitácio, Adamantina, Jacareí e Tupã”, concluiu a produtora.


Diário de Tupã
+ VEJA TAMBÉM