04 de Dezembro de 2020
20º/30º
NOTÍCIAS » LOCAL

Trânsito: caminhoneiros ainda trafegam em vias proibidas

Sem conhecer as orientações municipais, muitos caminhoneiros de outras cidades trafegam com veículos pesados por vias proibidas, na região central, em determinados horários.

Os motoristas que acessam a cidade pelo trevo do IBC/Camap possuem maior acesso a essas informações, com a presença de placas indicativas sinalizando a rota exclusiva para veículos pesados, no trecho entre a Praça dos 100 anos da Imigração Japonesa, Rua Brasil, Rua Timborés, com saída no final da Avenida Tamoios, sentido de Queiroz.

Mas os caminhoneiros que chegam à cidade por outros trevos, não possuem informações claras em relação à rota obrigatória de caminhões e, muitos, acabam trafegando pela região central da cidade, principalmente pela Avenida Tamoios, onde o tráfego é proibido, em horário comercial.

A reportagem do DIÁRIO já flagrou diversos motoristas de caminhões dirigindo na Tamoios e Aimorés, no trecho com as restrições. Isso acaba dificultando ainda mais o tráfego de veículos, na principal região comercial da cidade.



Horário

Segundo a Secretaria Municipal de Trânsito, o horário permitido para tráfego de caminhões na Avenida Tamoios é após as 18 horas e antes das 9 horas da manhã, e apenas para carga e descarga de produtos. O trajeto a ser percorrido pelos caminhoneiros em Tupã, no período das 9 horas às 18 horas, deve acontecer com acesso pelas ruas Brasil, Timborés e Avenida Tamoios, sentido vicinal para Juliânia/Queiroz.

Vale lembrar que nesse horário os caminhões podem cruzar a Avenida Tamoios apenas para estacio-nar nas ruas transversais. E que ônibus podem trafegar pela Avenida Tamoios em quaisquer horários, por se tratar de um veículo que transporta pessoas para hotéis, hospedagens e outros pontos turísticos do município, movimentando, inclusive, a economia.

Anel viário

Enquanto o tráfego de veículos pesados continua comprometendo o trânsito em regiões movimentadas da cidade, como a Rua Brasil, o poder público ainda estuda projetos para solucionar esse problema. Um deles está em análise pela Prefeitura de Tupã há cerca de 11 anos, mas ainda sem chegar a uma conclusão, principalmente por falta de recursos. A proposta apresentada por diversas vezes ao Poder Executivo é a de construção de um anel viário que possa oferecer acesso adequado aos motoristas de veículos de grande porte, desafogando as ruas de maior movimento da cidade, que permanecem praticamente intrafegáveis durante os horários de pico.

Plano Diretor

Vale lembrar que, desde o ano de 2009, a construção de um anel viário está prevista no Plano Diretor, mas que nunca foi executada, por falta de verbas.

Segundo dados da Secretaria Municipal de Obras, o projeto prevê a construção de diversos anéis viários no município, sendo que o maior, em termos de recursos e extensão, interligará o 3º Distrito Industrial ao Câmpus da Unesp, proximidades do Frigorífico Estrela, aeroporto e rotatória do aeroporto com acesso à Rodovia "Comandante João Ribeiro de Barros”, a SP-294, nas proximidades da Base Operacional da Polícia Militar Rodoviária.

Cabe ressaltar que, além dos recursos que deverão ser aplicados na construção do anel viário, a prefeitura deverá, ainda, realizar as desapropriações das áreas que serão utilizadas para a implantação do projeto, o que irá encarecer ainda mais as obras. Estima-se que o valor dessa obra seja de aproximadamente R$ 50 milhões.
Diário Tupã
+ VEJA TAMBÉM