25 de Setembro de 2022
20º/30º
Notícias - Saúde

Cerca de 53 mil procedimentos oncológicos foram adiados durante a pandemia

De acordo com o levantamento, as principais baixas foram detectadas nas biópsias de mama e próstata e rastreamento de câncer de colo do útero (Papanicolau) e colorretal (colonoscopia).

A pandemia de Covid-19 provocou o adiamento de aproximadamente 53 mil procedimentos oncológicos pelo SUS (Sistema Único de Saúde), segundo dados da SBCO (Sociedade Brasileira de Cirurgia Oncológica) apurados entre janeiro de 2020 e junho de 2022.

"Os pacientes oncológicos estão no grupo que postergou os cuidados com a doença com reflexos diretos tanto no sistema público quanto no privado. Hospitais e clínicas registram até 70% de adiamento das cirurgias nos momentos de pico da pandemia", afirma o médico Ramon Andrade de Mello, professor da disciplina de oncologia clínica do doutorado em medicina da Universidade Nove de Julho (Uninove), do corpo clínico do Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo, e PhD em oncologia pela Universidade do Porto, Portugal.

De acordo com o levantamento, as principais baixas foram detectadas nas biópsias de mama e próstata e rastreamento de câncer de colo do útero (Papanicolau) e colorretal (colonoscopia). "Essas reduções no número de procedimentos oncológicos não são exclusividades do Brasil. Aos poucos, os pacientes retornaram às consultas e aos tratamentos oncológicos. Isso deve causar impactos nos sistemas de saúde durante alguns anos", analisa o pesquisador.

Ramon Andrade de Mello ressalta que o câncer deve ser prioridade. "O diagnóstico precoce aumenta as chances de cura. Porém, devido a longa espera, alguns casos, que poderiam ter melhores resultados, acabaram se transformando em emergência".

Sobre Ramon Andrade de Mello

Pós-doutorado em Pesquisa Clínica no Royal Marsden NHS Foundation Trust (Inglaterra), Ramon Andrade de Mello tem doutorado (PhD) em Oncologia Molecular pela Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (Portugal).

O médico tem título de especialista em Oncologia Clínica, Ministério da Saúde de Portugal e Sociedade Europeia de Oncologia Médica (ESMO). Além disso, Ramon tem título de Fellow of the American College of Physician (EUA) e é Coordenador Nacional de Oncologia Clínica da Sociedade Brasileira de Cancerologia, membro da Royal Society of Medicine, London, UK, do Comitê Educacional de Tumores Gastrointestinal (ESMO GI Faculty) da Sociedade Europeia de Oncologia Médica (European Society for Medical Oncology - ESMO), Membro do Conselho Consultivo (Advisory Board Member) da Escola Europeia de Oncologia (European School of Oncology - ESO) e ex-membro do Comitê Educacional de Tumores do Gastrointestinal Alto (mandato 2016-2019) da Sociedade Americana de Oncologia Clínica (American Society of Clinical Oncology - ASCO).

Dr. Ramon de Mello é oncologista do corpo clínico do Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo, e do Centro de Diagnóstico da Unimed, em Bauru, SP.
Receba em primeira mao nossas noticias!
Participe de nossos grupos:
+ VEJA TAMBEM