25 de Setembro de 2022
20º/30º
Notícias - Saúde

Tupã ainda está com baixa cobertura vacinal contra a Poliomielite

Secretaria de Saúde segue realizando ações de conscientização da Campanha

Tupã ainda está com baixa cobertura vacinal contra a Poliomielite
Tupã ainda está com baixa cobertura vacinal contra a Poliomielite


Com a baixa cobertura vacinal de crianças contra a Poliomielite, a Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, alerta a população sobre a importância da dose vacinal. A vacina contra a pólio é responsável pela proteção de crianças menores de 5 anos contra a paralisia infantil, doença considerada erradicada no Brasil desde 1994 e que voltou a registrar números da infecção alarmando os órgãos de saúde.

Em Tupã a estimativa da Secretaria de Saúde é a vacinação de 2.773 crianças menores de 5 anos, e até o momento somente 1.330 doses foram aplicadas, um total de 47,96% da cobertura vacinal.

Dados da Secretaria ainda apontam que mais de 50% das crianças com até 1 ano não foram vacinadas, assim como as crianças com 2 e 4 anos completos. "Somente a cobertura vacinal de crianças com 3 anos completos ultrapassou 50% da cobertura estimada, o que nos deixa muito insatisfeitos e preocupados com a saúde das crianças dessas faixas etárias. Precisamos que os pais se mobilizem e entendam a importância da vacina contra a paralisia infantil", alertou o titular da Pasta responsável, dr. Miguel Ângelo de Marchi.

Segundo informações do site paralisiainfantil.com.br, há 28 países com retorno da pólio devido à queda das coberturas vacinais; 2 países endêmicos (Paquistão e Afeganistão); 33 países com surtos na região do Mediterrâneo Oriental, na África e na Europa (incluindo Ucrânia e Israel); 4 países de muito alto risco (Haiti, Peru, República Dominicana e Venezuela); e 6 países de alto risco (Argentina, Bolívia, Brasil, Equador, Panamá e Paraguai).

"Com uma ação simples os pais e responsáveis poderão proteger as crianças dessa doença tão triste e que os impede de ter uma vida plena e saudável. Lembrando que todas as Unidades de Saúde de Tupã e dos distritos de Varpa, Parnaso e Universo estão com doses disponíveis", contou a chefe de setor de Vigilância Epidemiológica, Juliana Yuri.

Para ajudar a reforçar a importância da Campanha, a tupãense Paula Cabrera, que teve Poliomielite aos 7 meses, declarou que a falta de algumas gotinhas mudou a sua vida por completo.

"Hoje eu convivo com as sequelas da pólio e sei o que a falta de uma gotinha fez na minha vida. Aqui em Tupã temos todas as informações possíveis sobre a Campanha e como aderir a ela e proteger nossas crianças. Por isso, reforço que os pais e responsáveis pelas crianças menores de cinco anos devem procurar a Unidade mais próxima da sua casa ou qualquer outra, que serão muito bem atendidos e poderão sair tranquilos sabendo que estão contribuindo para a saúde dos seus filhos. Eu já levei o meu filho Miguel de 4 anos e hoje posso garantir que a gotinha que faltou pra mim não faltará pra ele", disse.

No encontro com Paula, o vereador e Rotaryano, Lucas Hatano, pôde conhecer a história da tupãense e saber sobre todas as dificuldades que uma pessoa com deficiência, seja pela pólio ou por outros motivos, enfrenta todos os dias.

"Apesar de tudo, a Paula é um exemplo de superação e foi muito gratificante poder conhecer sua trajetória. Eu sou Rotaryano e sei de todo o trabalho que o Rotary vem realizando há décadas para erradicar a Poliomielite no mundo todo. Precisamos entender que por meio de apenas três gotinhas histórias de paralisia infantil possam voltar a acontecer no nosso país. Eu mesmo na última semana fui até a sede do Rotary, onde estava com a vacinação, e pude levar meu filho Rafael de um ano para, pela primeira vez, ser imunizado contra a doença", contou.
Prefeitura de Tupã
Receba em primeira mao nossas noticias!
Participe de nossos grupos:
+ VEJA TAMBEM