30 de Outubro de 2020
20º/30º
ENTRETENIMENTO » VÍDEOS

Após provocar estragos, árvores da rua da Escola Helena Pavaneli precisam ser arrancadas

Engenheiro explica sobre a extração de árvores e quando o procedimento é necessário.

A equipe de reportagem do TupãCity foi até a rua da escola estadual Helena Pavanelli Porto acompanhar a extração de cinco árvores da espécie figueira, que ficavam na calçada da instituição.

De acordo com as informações da Prefeitura, as longas raízes da árvore causaram problemas de entupimento do encanamento, levantamento de piso do corredor interno e rachaduras nas paredes da escola. Além de danos no calçamento e nas guias de sarjeta.

No local, a equipe do TupãCity, junto ao engenheiro agrônomo da Prefeitura de Tupã, Jorge Gonçalves, constatou a presença de cupins nas figueiras, o que poderia trazer ainda mais danos, caso a árvore tombasse.

"Fizemos um laudo, fotografamos as arvores, para comprovar a legalidade de extrair essas árvores. A lei, que regulamenta a arborização no município, diz que se extrai uma árvore, outra tem que ser plantada no local”, disse.



Além disso, Jorge explicou que devido às obras de recape realizadas pela Prefeitura, muitas árvores terão de ser retiradas das ruas. Entretanto, ele destaca que outras árvores serão plantadas nos locais.

Já Eduardo Dantas, presidente do Clube da árvore de Tupã, contou que existem situações onde a extração é necessária.

"Não tem ninguém que reclame mais do corte das árvores para a Prefeitura e ambientes particulares do que o clube da árvore. Entretanto, neste local não temos o que fazer. Os danos são grandes na escola”.

Outros assuntos sobre a influencia das árvores no calor na cidade, além das espécies que devem ser plantadas em casa local e como a população pode pedir ajuda do Clube da Árvore de Tupã para plantar árvores na sua residência também foram abordados pela equipe do TupãCity. Para saber mais sobre o assunto, assista a entrevista completa:



Redação TupãCity
+ VEJA TAMBÉM