28 de Novembro de 2020
20º/30º
ENTRETENIMENTO » VÍDEOS

Dr. Fábio Vasconcelos fala sobre júri popular de Aílton Basílio, acusado de matar a bancária Débora Goulart em 2017

Após dois anos do crime, acusado vai a júri popular e sociedade terá uma resposta sobre o caso.

O assassinato da bancária Débora Goulart chocou a cidade de Tupã em 21 de agosto de 2017. Após dois anos do ocorrido, está marcado o Júri Popular de Ailton Basílio, ex-marido da vítima e acusado de cometer o crime, para o dia 9 de novembro de 2020.

Por isso, a equipe do TupãCity contatou o Juiz de Direito Dr. Fábio Vasconcelos, para comentar sobre o júri popular e sobre o caso.

Durante a entrevista, Dr. Fábio, explica como funciona o tribunal do júri. "25 jurados foram escolhidos através de sorteio. No dia do julgamento serão sorteados 7 pessoas destas 25, que efetivamente farão parte do conselho de sentença”, pontuou.

Vale destacar que o crime é tipificado como homicídio qualificado. Já houve uma primeira fase do processo, onde as testemunhas, réu, promotor e defesa foram ouvidos, e veio uma decisão judicial para que ele viesse a júri.

Veja a entrevista completa e saiba mais sobre o júri:




Entenda o caso

Conforme noticiado pelo TupãCity em agosto de 2017, a bancária de 33 anos foi assassinada com três facadas em sua própria residência na região central de Tupã.

Durante as investigações, a Polícia descobriu que Débora já havia registrado um boletim de ocorrência contra o ex-marido, Aílton Basílio por violência domésticas e, segundo testemunhas, ela a buscou no trabalho e depois disso ela não foi mais vista.
Redação TupãCity
+ VEJA TAMBÉM